sábado, 11 de maio de 2013

Ingressos para o jogo Flamengo e Campinense, em Juiz de Fora, começam a ser vendidos na segunda-feira



Os ingressos para o jogo entre Flamengo-RJ e Campinense-PA começam a ser vendidos em Juiz de Fora na segunda-feira, 13, em nove pontos na cidade. Entretanto, pela internet, já podem ser adquiridos no site oficial do Flamengo e nos sites “Ingresso mais “ e “Ingresso Rápido”. A partida, válida pela segunda fase da Copa do Brasil, será realizada às 22 horas da quarta-feira, 15, no Estádio Municipal “Radialista Mário Helênio”.

Como a expectativa de público é superior a 25 mil torcedores, a segurança será reforçada pelas polícias Militar e Civil, Guarda Municipal e fiscalização. O torcedor contará com horários especiais de transporte público a partir das 18 horas, partindo de 11 regiões da cidade. As decisões foram divulgadas nesta sexta-feira, 10, durante reunião preparatória da partida, realizada na sede da Secretaria de Esporte e Lazer, em Santa Terezinha, que contou com a participação da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj), representantes do Flamengo, autoridades civis e militares e diretores de uma das torcidas organizadas do rubronegro.

“Com certeza, vamos organizar um grande espetáculo, e este será o primeiro de vários. Vamos buscar aprimorar ainda mais nosso estádio, avançando no quesito segurança e qualidade. Queremos que o torcedor de Juiz de Fora tenha oportunidade de contemplar grandes jogos, como os da Copa do Brasil e do Campeonato Brasileiro”, previu o secretário de Esporte e Lazer, Francisco Canalli. O diretor de competições da Ferj, Marcelo Vianna, agradeceu a parceria com a Prefeitura de Juiz de Fora, através da secretaria. “Estamos sem os três principais estádios e precisamos de uma alternativa. A cidade é bem próxima ao Rio, o torcedor é muito ligado ao esporte carioca e isso ajuda muito. A parceria com a cidade , com certeza, chegou no momento certo”.

Ingressos

A partir de segunda-feira, de 9 às 19 horas, os ingressos serão colocados à disposição do torcedor nos postos da Liga de Futebol, no Calçadão da Rua Halfeld; no centro de treinamento, no Bairro Santa Terezinha; na sede social do Tupi (Rua José Calil Ahouagi, 332) e em seis lojas do Bahamas: Santa Luzia, São Vicente, São Pedro, Getúlio Vargas, Manoel Honório e Benfica. No dia do jogo os ingressos também serão comercializados nas bilheterias do estádio, a partir das 10 horas.

A compra pode ser feita tanto no Rio de Janeiro quanto em Juiz de Fora. O valor do ingresso é de R$ 50,00, com a meia-entrada sendo vendida a R$ 25,00 (a meia-entrada é apenas para menores de 12 anos, maiores de 60 e estudantes, situação que tem que ser comprovada mediante apresentação de documento na compra e na entrada do estádio). Apenas os assentos da área VIP custam mais caro: a inteira sai por R$ 100,00, e a meia por R$ 50,00. Sócios-torcedores que moram em Juiz de Fora ou nos demais municípios de Minas Gerais terão ingresso de graça para assistir a partida.

Os portões estarão abertos ao público a partir das 19 horas, sendo que os torcedores do Campinense deverão se dirigir para a entrada do Bairro Dom Orione, e os torcedores rubronegros para a entrada lateral e principal do estádio. O trânsito ficará em mão única do Dom Orione até o Clube dos Bancários, só sendo permitida a passagem de veículos oficiais, ônibus e táxis.

Segurança

A Polícia Militar (PM) empregará mais de 200 homens na segurança dentro e fora do estádio, utilizando-se de oito cães e dez conjuntos da cavalaria e contando com monitoramento das câmeras de segurança do estádio. Serão empregados 12 bombeiros militares, dez homens da Guarda Municipal, 18 fiscais e uma equipe da Polícia Civil, composta por 12 investigadores, um delegado e três viaturas. Será montada uma unidade móvel do Procon no estádio, além de um posto do Serviço de Atendimento ao Torcedor (SAT). Além disso, haverá o posto médico do estádio, quatro unidades de resgate do Corpo de Bombeiros e duas ambulâncias da Unimed.

De acordo com orientação da PM e dos bombeiros, garrafas, objetos pontiagudos, rádios com pilhas grandes e artefatos pirotécnicos não serão permitidos, assim como qualquer material combustível, como papéis picado e higiênico.

Transporte coletivo 

Durante a reunião preparatória para o jogo, os representantes da Settra informaram que colocarão à disposição do torcedor 30 veículos saindo do Centro, no ponto em frente ao Procon, na Avenida Itamar Franco, a partir das 18 horas. Os ônibus seguirão em direção ao estádio até meados do primeiro tempo. Ao final da partida, a frota será reforçada, para maior segurança dos torcedores, chegando a 41 carros.

Serão mantidos ônibus saindo de 11 bairros da cidade, a partir das 14 horas, contemplando todas as regiões, com deslocamento direto para o estádio. O retorno aos bairros será 15 minutos após o término da partida. Haverá coletivos saindo dos bairros Santa Lúcia, Filgueiras, Sagrado Coração de Jesus, Floresta, São Benedito, Santo Antônio, Alto Grajaú, Vivendas da Serra, Linhares, Progresso e Milho Branco.

* Informações com a Assessoria de Comunicação da SEL pelo telefone 3690-7853. 


SECRETARIA DE ESPORTE E LAZER

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Uso da Escola do Exército é de graça para a parceira CBF


O Unilever, do técnico Bernardinho, campeão da Superliga feminina de vôlei, e o Fluminense treinam na Escola de Educação Física do Exército (EsEFEx), na Urca, zona sul do Rio de Janeiro. E ambos têm de pagar por isso. Mas, para a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), "parceira histórica do Exército", como definiram nesta terça-feira militares e a comissão técnica da seleção brasileira, o uso das instalações é de graça.


A seleção, que será convocada para a Copa das Confederações na próxima terça-feira, vai se apresentar no dia 27 e, dois dias depois, começará a treinar na EsEFEx (mesmo local de parte da preparação para a Olimpíada de Londres, em 2012) para o jogo contra a Inglaterra, em 2 de junho, na reinauguração do Maracanã. Exército e CBF confirmaram que não haverá pagamento de compensação financeira pelos três dias de uso. "O Unilever paga R$ 8 mil por mês para treinar no ginásio, e o Fluminense R$ 3 mil por treino no campo".

Nesta terça, o técnico da seleção, Luiz Felipe Scolari, e o coordenador técnico Carlos Alberto Parreira assinaram na EsEFEx o termo de permissão de uso do campo e dos vestiários. No local da solenidade, uma faixa: "Exército Brasileiro e CBF: presenças marcantes nos campos da Glória. Mais de 40 anos de parceria". Acompanhando Felipão e Parreira, estavam o auxiliar Flávio Murtosa e o chefe de segurança da seleção, o coronel Haroldo Castelo Branco.

"Essa parceria já existe há muito tempo, desde a Copa de 1970", disse o general de brigada Décio Brasil, presidente da Comissão de Desportos do Exército. "Para a CBF, é um orgulho muito grande retornar à casa que nos acolheu tão bem em 1969, um lugar que nos dá sorte", completou Parreira.

Não é só a CBF que tem boa relação com o Exército. Em 2016, a EsEFEx será a casa do "Time Brasil" antes e durante os Jogos do Rio, como fez o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) no Crystal Palace, em Londres, no ano passado.

ATRASO 

Durante o evento, Felipão mostrou preocupação com o entorno do Maracanã, ainda em reforma. "O Maracanã está legal, desde que realmente terminem aquelas obras ao redor. Não sei se vai estar totalmente pronto até o dia 2."

PJF - 5ª CONFERÊNCIA DAS CIDADES - CONVITE


JORNAL FOLHA JF - 09.05.13


ANIVERSÁRIO DE AMIGOS - IRIS LIMA


COMEMORA, HOJE, MAIS UM ANIVERSÁRIO, NOSSO AMIGO E IRIS LIMA.


DESEJAMOS MUITAS FELICIDADES, PAZ, SAÚDE, REALIZAÇÕES E SUCESSOS NA VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL.

FRATERNO ABRAÇO.

JORNAL TRIBUNA DE MINAS - 09.05.13


Em JF, veteranos da Segunda Guerra Mundial relembram histórias 68 anos depois do fim do conflito



Neste quarta, 8 de maio, comemora-se o Dia da Vitória. Integrantes das forças aliadas, brasileiros lutaram na Itália, onde têm mais reconhecimento que no próprio país

Raphael Placido
Repórter
7/5/2013
pracinhas
Quase sete décadas depois, a memória segue praticamente intacta para o grupo de veteranos da Força Expedicionária Brasileira (FEB) que lutaram na Itália, durante a 2ª Guerra Mundial. Hoje, há 28 pracinhas vivos na cidade de Juiz de Fora. Três deles conversaram com a ACESSA.com, na sede Associação dos Veteranos, relembrando, não só os feitos do Exército brasileiro, mas também casos dramáticos e curiosos, já que neste 8 de maio, o chamado Dia da Vitória, completam-se 68 anos do fim da guerra e da rendição incondicional dos alemães. Mas, se a memória dos ex-combatentes anda em dia, o mesmo não se aplica à população em geral: a reverência aos heróis brasileiros segue muito aquém da praticada em outros países que fizeram parte da forças aliadas.
Na presidência da Associação Nacional de Veteranos da FEB da região de Juiz de Fora há 24 anos, Antônio de Pádua Inham, 87 anoslamenta que, no país, os heróis de guerra não sejam reverenciados. Na Itália, para onde já teve a oportunidade de viajar, presenciou crianças cantando, em português, a Canção do Expedicionário. Uma homenagem àqueles que, até hoje, são vistos como libertadores. Cena impensável em boa parte do mundo, no Brasil, infelizmente, é possível presenciar adolescentes e jovens, sem conhecimento da importância histórica dos pracinhas, debochando em desfiles militares desses grisalhos senhores que, apesar dos passos lentos, os mantêm firmes, orgulhosos do papel que desempenharam.
Dentro do Exército, pelo menos, os ex-combatentes têm sido bem recebidos. Tanto que, às 8h desta quarta-feira, todas as tropas da cidade estarão reunidas, no 10º Batalhão de Infantaria, no Bairro Fábrica, para homenagear os veteranos e celebrar o Dia da Vitória.
museu feb pracinhas
Dos mais de 25 mil brasileiros que embarcaram para a Europa, há apenas cerca de 500 vivos. Com eles, histórias de uma das páginas mais importantes do século XX vão se perdendo. Casos como o de José Lopes de Oliveira, soldado da FEB responsável por preparar refeições na retaguarda, que até hoje ouve piadas sobre a história do açúcar no feijão. Em 1943, com 25 anos, resolveu alistar-se como voluntário. Ele passou por treinamento em Juiz de Fora e São João Del Rei, antes de seguir para o Rio de Janeiro, de onde rumaram à Itália. Boa parte do suporte às tropas brasileiras era feito pelo exército dos Estados Unidos. 
O ex-combatente conta que foi dos americanos a ideia de fazer com que cada companhia tivesse uma cozinha, o que aumentou a demanda por cozinheiros. Com ele, havia mais dois cozinheiros, três auxiliares, um cabo e um sargento. No fogão à gasolina, a refeição dos soldados da linha de frente era preparada, com direito a iguarias tipicamente brasileiras, como feijão e arroz. Por questões nutricionais que até hoje o grupo desconhece, o pessoal da cozinha foi orientado a preparar o feijão com açúcar no lugar do sal. A ideia foi dos americanos, mas até hoje o ex-soldado ouve dos companheiros reclamações sobre o feijão doce.
Antônio de Pádua Inham teve o batismo de fogo na principal batalha com participação brasileira da guerra, a tomada de Monte Castelo. Ele conta que o soldado brasileiro foi muito bem preparado fisicamente à Itália, e pôde enfrentar os inimigos alemães, empurrando-os para o interior da Europa. Mas a mesma memória que lembra casos divertidos, trás à tona episódios marcantes. "Participar de uma guerra é algo que eu não quero para ninguém. É a coisa mais triste que há. Destrói famílias, você perde seus amigos... Eu tive a oportunidade de presenciar companheiros feridos, morrendo. É um momento muito triste da vida da gente. Você fica dentro de uma trincheira, passa sob chuva, neve, com o inimigo lançando bombas", conta. 
Com 90 anos de idade, José Maria da Silva Nicodemus esteve na Itália como cabo e presenciou a rendição de 15 mil alemães para o Exército brasileiro. A participação na Segunda Guerra Mundial, ao longo dos anos, o levou a uma teoria interessante, baseada na ideia da máxima futebolística "pênalti é tão importante que deveria ser batido pelo presidente do clube". Para ele, as guerras deveriam ser travadas pelos líderes do país. "Você coloca os dois presidentes armados em um campo e os coloca para lutar. Isso evitaria uma infinidade de jovens e inocentes mortos", afirma.
A sede da associação, fundada em 1947, fica na rua Howian, 40, no Centro,   e conta com um museu, aberto ao público entre 14h e 17h. Lá, o visitante encontra fotos, mapas, condecorações, homenagens e várias relíquias, como um capacete nazista original.

    Soldados continuam treinamento em campo com agentes endemistas em JF



    Cintia Charlene
    *Colaboração
    exército dengue
    Para reforçar o time de agentes endemistas que trabalham no combate à dengue em Juiz de Fora, continua desde segunda-feira, 6 de abril, o treinamento em campo dos 30 militares do Exército Brasileiro que integrarão a equipe. Os soldados têm a missão de atuar no tratamento e bloqueio focal durante três meses. Para isso, eles irão percorrer os 21 bairros que compõem a Região Nordeste da cidade, como Grama, Filgueiras, Granjas Betânia, Recanto dos Lagos, Jardim Emaús, Parque Independência, entre outros.
    Entre os dias 29 de abril e 3 de maio, os novos integrantes passaram por treinamento, realizado por agentes da Subsecretaria de Vigilância em Saúde. Na primeira etapa do processo, os soldados receberam informações teóricas sobre a doença e os estágios de desenvolvimento do Aedes aegypti. Na última quinta-feira, 2, teve início a segunda fase, que compreende a etapa prática do processo. Cada soldado juntamente com um agente, visitava as residências recebendo orientações de como proceder. ''Entendemos que essa ação deveria continuar por mais dois ou três dias, já que o tempo para prática foi curto. Portanto, até quarta-feira (8) acredito que eles já estarão prontos para atuarem sozinhos na região Nordeste'', revelou o coordenador de campo, Fábio César Rodrigues. Os militares visitaram nesta segunda-feira, residências localizadas nos bairros Bom Clima e Quintas da Avenida.
    De acordo com o boletim divulgado na última sexta-feira, 3, pelo Departamento de Vigilância Epidemiológica e Ambiental da Secretaria de Saúde, os números da dengue continuam crescendo. Foram computadas 3.877 notificações de casos suspeitos, 2.981 casos confirmados, sendo 2.924 contraídos no próprio município e outros 52 casos importados. Cinco casos têm origem desconhecida e outros 676 ainda aguardam resultado.


    quarta-feira, 8 de maio de 2013

    Preso agente suspeito de levantar dados de juiz


    08 de Maio de 2013 - 19:20


    Segundo magistrado, informações seriam vendidas para detentos de penitenciária de Linhares por até R$ 30 mil

    Por Guilherme Arêas

    Atualizada às 22h15
    O juiz da Vara de Execuções Criminais de Juiz de Fora, Amaury de Lima e Souza, expediu mandado de prisão temporária contra um agente penitenciário de 41 anos que trabalha na Penitenciária José Edson Cavalieri (Pjec), no Bairro Linhares, Zona Leste. A prisão, segundo o magistrado, ocorreu por suspeitas de que o funcionário público teria levantado dados pessoais dele para serem vendidos a detentos da unidade prisional. "Chegou, recentemente, uma notícia de que um agente penitenciário estaria vendendo informações sobre o meu itinerário, das placas dos meus carros, do local onde eu moro, para uma quadrilha de presos já custodiados no sistema e que estariam insatisfeitos com esse combate que a gente faz para evitar a entrada de droga, arma e celular (no presídio), e também com a emissão de mandados de busca e apreensão nas casas de presos. Porque, lá de dentro (da penitenciária), eles continuam controlando o tráfico de drogas aqui fora. Então, isso deve ter gerado uma insatisfação entre alguns detentos", disse o juiz, em seu gabinete, durante entrevista coletiva. Informações recebidas por Amaury apontam que o material com o conteúdo da vida pessoal dele estaria sendo oferecido por até R$ 30 mil. 
    A suspeita de que o agente penitenciário teria feito esse levantamento surgiu durante investigações da própria Vara de Execuções Criminais, iniciadas há seis meses. As diligências começaram após o mesmo agente de 41 anos ser apontado como um facilitador da entrada de armas, drogas e celulares na penitenciária. "O nome dele foi citado insistentemente, várias vezes, por vários detentos, em situação diferentes", disse o juiz. Não há informações sobre quanto o funcionário supostamente cobraria por facilitar a entrada de objetos na unidade. 
    Nesta quarta-feira (08), durante operação batizada de "Impacto", além da prisão do agente, foram cumpridos mandados de prisão temporária contra oito detentos da Pjec suspeitos de ligação com o servidor público. Outros cinco mandados de busca e apreensão foram cumpridos nas casas de presos e do funcionário. Nesta última, no Bairro Grajaú, foram recolhidos pelo menos seis celulares, além de notebook, câmera fotográfica, fitas de vídeo e CD-ROM. Também foi feita uma varredura nas celas dos presos suspeitos, mas nada teria sido encontrado. Os materiais e os detentos foram encaminhados para a 1ª Delegacia Regional de Polícia Civil, que vai dar seguimento às investigações para averiguar as supostas relações entre o agente penitenciário e os sentenciados. Conforme o juiz, nos últimos seis meses, armas e diversas porções de droga foram apreendidas dentro da penitenciária. Até o final da noite desta quarta-feira, os presos ainda não haviam sido ouvidos no plantão.

    Magistrado não crê em ameaça de morte

    As investigações da Polícia Civil vão apurar ainda a suspeita de que o agente preso teria feito outro levantamento, desta vez sobre informações da vida de um colega da Penitenciária José Edson Cavalieri (Pjec). Conforme o juiz Amaury de Lima e Souza, este segundo agente era responsável por boa parte das apreensões de drogas e armas que entravam na instituição. Devido à atuação combativa, ele possivelmente também era visto com descontentamento entre os presos envolvidos no suposto esquema. 
    Sobre o material que estaria sendo levantado sobre sua vida pessoal, o juiz Amaury minimizou, afirmando não crer na efetivação das ameaças de morte ou até de atentados contra sua vida. "Não acredito que isso viesse a se concretizar. Acredito que seja conversa fiada, mas temos que tomar cautela."
    A operação "Impacto" foi deflagrada pela Vara de Execuções Criminais, com apoio da promotora Sandra Fátima Totte, do titular do Tribunal do Júri, juiz José Armando Pinheiro da Silveira, além das polícias Civil e Militar. Pelo menos 28 policiais militares do Choque, Gate, Rotam e Rocca (Canil) participaram do cumprimento dos mandados. Conforme Amaury, a direção da Penitenciária José Edson Cavalieri também contribuiu com a operação. "É do interesse de toda direção de penitenciária não deixar que esses itens, como telefones, facas, armas e drogas, permaneçam lá dentro", disse Amaury. A Pjec, com capacidade para 360 presos, abriga hoje cerca de 390 detentos, segundo o juiz. Na unidade, estão abrigados apenas homens já condenados pela Justiça.

    Vereadores cobram esclarecimentos sobre Plano de Saúde do Servidor


     A audiência pública desta terça-feira (08/05) solicitada pelos vereadores José Fiorilo (PDT), Zé Márcio (PV) e Jucelio Maria (PSB) debateu questões relacionadas ao Saúde Servidor - Plano de Assistência à Saúde.

    “Queremos saber a verdade. Fazer algumas perguntas sobre o funcionamento, as receitas e despesas, como é realizado o gerenciamento do plano”. Esclareceu Fiorilo ao abrir o debate.
    O vereador Zé Márcio lembrou da criação do plano de saúde em 2003 com a participação do empregado e do empregador, sendo um plano de autogestão. “Hoje possui em 9686 usuários e 494 prestadores de serviço. É um dos maiores ganhos do servidor público nos últimos anos”. Zé Márcio defendeu a regularização do aporte da Prefeitura para a normatização das atividades.
    O descredenciamento de médicos por falta de pagamento foi citado pelo assistente social do Sinserpu, Tadeu José de Vieira.
    O secretário de administração e recursos humanos, Alexandre Jabour, assumiu a existência de pontos convergentes, mas que o trabalho e o diálogo já foram iniciados. A necessidade do cálculo atuarial foi apontada.
    A diretora-presidente do saúde servidor, Gisele Machado, falou da realidade do plano e dos trabalhos desenvolvidos. Ao longo de 2013 pretende-se melhorar a gestão, disponibilizar o sistema para consulta via web, melhoria nos processos de trabalho e controle rigoroso da inadimplência.
    Sobre os valores de contribuição por faixas salarial e etária ela ressaltou que estudos estão sendo realizados para verificar qual a melhor opção para o servidor.
    Em relação aos prestadores de serviços, Gisele Machado falou que o pagamento de 2013 está em dia. “Os débitos são dos últimos meses do último ano. A regularização do ritmo de pagamentos já tranquilizou os prestadores de serviço. Há uma auditoria permanente e detalhada das despesas dos usuários. O novo decreto está em estudo para disciplinar o regulamento do plano visando corrigir os erros detectados no decreto vigente”.

    Comentário em rede social provoca exoneração de secretária de Saúde


    Depois de uma foto e vários comentários publicados em uma rede social, a secretária de Saúde de Lavras (MG), Gilza Helena de Carvalho, pediu exoneração do cargo.  A postagem, que segundo os internautas, fazia alusão às drogas, causou polêmica na cidade.
    Na imagem, a ex-secretária aparece vestida com roupas hippies  para uma festa à fantasia e escreveu como legenda a frase: “Só falta o baseado”.
    Com isso, um blog da cidade utilizou a fotografia com a legenda, o que provocou dezenas de comentários e levaram a secretária a pedir a exoneração do cargo, que foi aceita pelo prefeito Marcos Cherem.
    A exoneração de Gilza foi publicada no Diário Oficial do Município desta terça-feira (7), contudo, ela utilizou a mesma rede social para publicar uma nota de repúdio e esclareceu que não faz apologia às drogas, tampouco uso.

    Segundo ela, isso seria injustificável, já que atua na área de saúde. Gilza disse também que pretende processar o dono do blog que publicou a foto e o texto, bem como um vereador da cidade, que fez um pronunciamento durante uma sessão da Câmara Municipal. Ele disse que considera o comportamento da ex-secretária descabido.
    Comentário em rede social provocou exoneração de secretária de Saúde (Foto: Reprodução EPTV)Comentário em rede social provocou exoneração de secretária de Saúde (Foto: Reprodução EPTV)http://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/noticia/2013/05/comentario-em-rede-social-provoca-exoneracao-de-secretaria-de-saude.html

    ASCOMCER - CONVITE POSSE DIRETORIA


    II FEIJOADA BENEFICENTE DO EDUARDO - 09 DE JUNHO


    Em prol das obras sociais de uma casa espírita no bairro Benfica. A casa espírita encontra-se atualmente em uma sede provisória, por cessão de um mentor espiritual, mas o número de pessoas que buscam atendimento tem aumentado e o espaço se tornou pequeno.

    A feijoada será no dia 09 de junho, a partir das 13 horas, na sede social do Sport Club Juiz de Fora.

    Além do almoço haverá música ao vivo, dança de salão, bingo, entre outras atrações.

    Os convites poderão ser adquiridos na loja da Rosa Rose,situada no 1º Piso do Mister Shopping, no valor de R$15,00 (quinze reais), com bebidas a parte.

    Participe, leve sua família e amigos.

    Ajude mais uma obra social em Juiz de Fora.



    Adolescente é flagrada bêbada em festa promovida por militares da Marinha em Barbacena.

    Postado por Jornalismo – Editor Chefe

    Uma Festa promovida por militares da Marinha terminou em confusão em Barbacena. O evento foi no distrito de Pinheiro Grosso. A festa have chamada Navy Party teve duração de três dias e teria sido organizada por militares do Rio de Janeiro, que passavam o fim de semana na cidade das Rosas. 

    Os convidados tinham direito a churrasco, piscina, jogos sensuais, gogoboys, além de outras atrações como, por exemplo, premiação para o melhor biquíni. Mas, de acordo com o comissário de Menores, Fernando Sfredo, a bebida era liberada e mulheres não pagavam para entrar. 

    Durante a festa, uma adolescente foi flagrada após consumir bebida alcoólica. Um militar de Marinha se apresentou como dono da festa e foi multado pelo Comissariado de Menores em cerca de 13 mil e 500 reais. 

    Fernando Sfredo disse ainda que as fiscalizações envolvendo festas e eventos organizados em sítios por militares da Aeronáutica serão intensificadas para coibir, especialmente, o abuso de bebidas alcoólicas ou mesmo o uso de menores em brincadeiras e jogos eróticos.

    Ex-soldados que dançaram hino nacional em ritmo de funk têm condenação mantida no STM


    Brasília, 7 de maio de 2013 – O Superior Tribunal Militar (STM) confirmou a condenação dos ex-soldados que dançaram o hino nacional em ritmo de funk dentro de um quartel no Rio Grande do Sul. O caso ganhou as manchetes de todo o país há dois anos, após um vídeo ter sido publicado na internet.
    Ex-soldados que dançaram hino nacional em ritmo de funk têm condenação mantida no STM
    Os jovens, que integravam o Exército na época, cometeram o crime de ofensa a símbolo nacional, tipificado no artigo 161 do Código Penal Militar e foram condenados a um ano de prisão, com a pena convertida em prestação de serviços à comunidade. Eles já haviam sido condenados em primeira instância na Auditoria de Bagé (RS).
    O vídeo postado no site youtube mostra seis soldados fardados e inicialmente em forma dançando uma versão funk do hino nacional dentro do 3ª Companhia de Engenharia de Combate de Dom Pedrito. Um sétimo soldado colocou a música e um outro filmou com o próprio telefone celular. O arquivo gravado foi visto por outros militares da Companhia e um nono soldado pediu a um colega civil que publicasse o vídeo na internet. Todos os envolvidos foram licenciados do Exército.
    O ministro relator, Carlos Alberto Marques Soares, absolveu os nove ex-militares. Ele sustentou que não houve dolo e sim, uma brincadeira desrespeitosa “que deve ser repudiada”. Para ele, a conduta deveria ter sido tratada apenas na esfera disciplinar, mesmo com toda a repercussão do caso.
    O ministro revisor, Lúcio Mário de Barros Góes, discordou do relator e manteve a sentença de primeiro grau. O ministro ressaltou que o hino é símbolo nacional, tem sua execução regulada pela Lei 5.700/1971 e que o militar tem o dever de respeitá-lo. “Sabe-se que a versão do hino não foi feita por nenhum dos acusados, mas a forma como foi dançada configura um ato de desrespeito e ultraje”.
    O revisor afirmou que houve dolo na conduta, pois os militares não apenas executaram a versão modificada do hino, como também fizeram coreografia e filmaram a ação com a autorização de todos os participantes. “A publicação no youtube apenas mostrou nacional e internacionalmente algo que já tinha grande repercussão dentro da organização militar e da cidade de Dom Pedrito”. Ele disse que os acusados tinham consciência da ilicitude da conduta ou, pelo menos, do desrespeito ao símbolo nacional. O revisor foi seguido pelos demais ministros.

    PARA RELEMBRAR - GEN MAURO CUPERTINO NA ATIVA

    Foto de Paulo Ferreira

    Atraso em convênio do 'Poupança jovem' preocupa estudantes


    08 de Maio de 2013 - 06:00


    Projeto é importante para estimular adolescentes a concluírem o ensino médio

    Por Flávia Crizanto

    Um atraso na assinatura do convênio do "Poupança jovem" feito entre o Governo do estado e a Secretaria de Assistência Social de Juiz de Fora está deixando os alunos do ensino médio da rede estadual de ensino apreensivos. O programa que tem o objetivo de estimular os estudantes a participarem de atividades extracurriculares, como cursos, idas ao teatro e ao cinema, ainda não teve início. Cada ação rende ao aluno uma pontuação que é acumulada no decorrer de três anos. A demora dificulta o cumprimento dos pontos necessários para resgatar o valor de R$ 3 mil, depositado na conta bancária daqueles que cumprirem as metas exigidas, ao final do último ano. Em Juiz de Fora, cerca de quatro mil adolescentes do primeiro ano aguardam para aderir ao projeto, que ainda está no processo de elaboração de contrato e divulgação de edital. Na mesma expectativa também estão os alunos das séries seguintes, que ainda não estão podendo pontuar este ano. A proposta objetiva conter a evasão escolar e aumentar as taxas de conclusão do ensino médio.
    Abner Fortunato de Souza, 16 anos, é estudante do Instituto Estadual de Educação (Escola Normal) e participou pela primeira vez do "Poupança jovem" no ano passado. "Quero muito que o projeto volte, mas nem o cartão saiu ainda. É uma proposta muito legal, pois nos estimula a consumir cultura e até mesmo atividades que nos distraem. Mas, se demorar muito, como vamos completar a meta de pontuação?" A mesma preocupação é a da estudante do terceiro ano da Escola Estadual Duque de Caxias, Edvania Machado, 17. "Dá aquele medo de não cumprir os pontos e não receber o dinheiro no final. Ainda mais que estou no último ano. Já tenho planos de pagar um curso de inglês ou profissionalizante com o valor que posso vir a receber."
    Além do atraso no início do "Poupança jovem" este ano, alunos que terminaram o ensino médio e alcançaram a pontuação necessária ainda não conseguiram receber a quantia final e aguardam um posicionamento do Estado. "Estamos em maio. Fiz um esforço para completar as metas, pois sabia que, após terminar meus estudos, não poderia depender dos meus pais. Com os R$ 3 mil pretendia pagar um cursinho ou administrar os valores de forma a ficar sem trabalhar um tempo e me dedicar só aos estudos. Mas não teve jeito", lamenta Douglas Silva, 17.
    Atrasos
    A adesão dos alunos nas cidades de Ibirité, Montes Claros, Pouso Alegre, Ribeirão das Neves e Teófilo Otoni também foi iniciada no mês de abril, com atraso. Em Juiz de Fora, a previsão é de que o edital seja liberado em breve pela Prefeitura, que é responsável pela execução local do projeto. "Fomos chamados para assinar o convênio só no final de março e, agora, estamos em um processo de elaboração de contrato. É importante ressaltar que o "Poupança jovem" não acabou, e o retorno das atividades deve acontecer dentro de um mês. Jamais poderíamos negligenciar um projeto como esse", explicou o chefe do Departamento da Juventude da Secretaria de Assistência Social, José Francisco de Oliveira Sobrinho.
    Quanto ao pagamento do valores aguardados pelos adolescentes que concluíram o ensino médio, a responsabilidade fica com o próprio Estado. A previsão é de que o valor seja depositado em junho, após a conclusão do levantamento de todos os contemplados, conforme informou a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese). A pasta também ressaltou que o convênio com a Prefeitura de Juiz de Fora já está assinado.

    08 DE MAIO - DIA DA VITÓRIA



    Ordem do Dia alusiva ao Dia da Vitória

    Rio de Janeiro, 8 de maio de 2013

    Ao recordarmos, no dia de hoje, os sacrifícios e as glórias do Brasil na Segunda Grande Guerra, temos a 
    oportunidade de refletir sobre o papel de nosso país nos destinos da humanidade. 

    Em agosto de 1942, reagindo a atos de agressão direta contra seus cidadãos, seu patrimônio e seus interesses, 
    o Brasil não teve alternativa senão declarar-se em estado de beligerância contra países do Eixo.

    A paz sempre fora nosso ideal, e continuaria a sê-lo.

    Mas, naquele momento crítico da História, nossa posição pacífica exigiu o amparo das armas.

    Os marinheiros, soldados e aviadores que lutaram pela proteção do Brasil e pela libertação da Itália prestaram 
    o mais alto serviço pela paz mundial.

    Aos que tombaram pela Pátria, dirigimos especial reverência hoje: às centenas de vítimas civis e militares 
    da Batalha do Atlântico, que pereceram nos ataques à Força naval e à marinha mercante; e aos vários soldados e 
    aviadores mortos no teatro de operações europeu.

    A 8 de maio de 1945, há exatos 68 anos, seu sacrifício foi compensado pelo triunfo das forças democráticas.

    Manter viva a memória de seus gloriosos feitos é um dever indeclinável da sociedade brasileira, cuja 
    independência foi preservada pelo desassombro desses combatentes.

    As ações da Força Expedicionária Brasileira e do Primeiro Grupo de Aviação de Caça na Itália, e da Marinha no 
    Atlântico Sul, contribuíram para que o Brasil tivesse um lugar destacado na criação de uma ordem internacional 
    mais justa e pacífica.

    Nosso país tem procurado assumir responsabilidades compatíveis com a elevada posição que ocupa no 
    mundo.

    Gostaria de mencionar as muitas centenas de militares brasileiros que, neste exato instante, encontram-se 
    no exterior atuando sob a bandeira das Nações Unidas, dando sequência, em tempo de paz, ao sacrifício feito por 
    homens e mulheres durante a guerra.

    Na guerra ou na paz, o Brasil não se furta a honrar seu compromisso com a causa da humanidade.

    Um país pacífico não pode ser confundido com um país indefeso.

    Compreendemos com clareza, ao assistirmos a cerimônia deste Oito de Maio, quanto é importante que nós 
    brasileiros cuidemos de nossa segurança.

    No mundo cheio de incertezas em que vivemos, é cada vez mais verdadeiro o axioma de que a defesa não é 
    delegável.

    Apenas com adequadas capacidades dissuasórias evitaremos ameaças à soberania nacional e preservaremos 
    as instituições que nos são caras, a começar pela democracia e pelo Estado de Direito.

    Só assim estaremos também aptos a zelar pelos vastos recursos naturais de que dispomos.
    Congratulo a todos os agraciados com a Medalha da Vitória: de diferentes maneiras, a ação das Senhoras e dos 
    Senhores tornou realidade nosso compromisso com um país seguro e com um mundo mais pacífico.


    Embaixador Celso Amorim
    Ministro de Estado da Defesa


    08 DE MAIO - DIA DO ARTISTA PLÁSTICO

    Na pessoa do amigo e irmão paranaense Luiz Arthur Montes Ribeiro, cumprimentamos a todos os amigos.


    Conheça mais sobre o artista:


    JORNAL FOLHA JF - 08.05.13


    terça-feira, 7 de maio de 2013

    JORNAL TRIBUNA DE MINAS - 08.05.13


    PASSAGEM DE COMANDO DA 4ª BRIGADA DE INFANTARIA LEVE


    No último dia 30 de abril ocorreu a passagem de comando da 4ª Brigada de Infantaria Leve de Montanha, Brigada 31 de Março. O Gen Otávio Santana do Rêgo Barros passou o cargo para o Gen Francisco Mamede de Brito Filho.


    A solenidade foi realizada no quartel general da brigada, no Mariano Procópio, e devido ao fato do Gen Brito estar com um problemas musculares e ainda estar em tratamento o evento foi reduzido.

    Tudo transcorreu dentro do palacete Mariano Procópio, sem a participação de tropa formada.


    A solenidade contou com a presença de vários oficiais generais com destaque para o Gen Ex Francisco Carlos Modesto, Comandante Militar do Leste e o Gen Div José Alberto da Costa Abreu. O prefeito Bruno Siqueira também se fez presente representando o povo de Juiz de Fora.

    Gen Rêgo Barros e Gen Brito


    Desejamos ao Gen Brito e família felicidades na cidade de  Juiz de Fora.

    Vasco e Tupi: tudo pronto para o jogo em comemoração aos 163 anos de Juiz de Fora

    A Prefeitura de Juiz de Fora, por meio da Secretaria de Esporte e Lazer, promove no próximo sábado, 11, um jogo amistoso entre a equipe do Vasco da Gama e o Tupi, às 14h, no Estádio Municipal Radialsita Mário Helênio. A partida integra a comemoração pelos 163 anos da cidade e a festa de 101 anos do Tupi. Serão colocados à venda nove mil ingressos, e os portões estarão abertos ao público a partir das 14h. Os vascaínos deverão se dirigir para a entrada do Dom Orione e os torcedores do carijó para as entradas principal e lateral do estádio. 

    Conforme a Secretaria de Transporte e Trânsito (Setrra), o trânsito ficará em mão única entre o Dom Orione e o Clube dos Bancários, só sendo permitida a passagem de veículos oficiais, ônibus e táxis. 

    Os torcedores poderão adquirir os ingressos por R$ 20 a inteira e R$ 10 a meia-entrada. Somente menores de 12 anos, pessoas maiores de 60 anos e estudantes poderão pagar a meia-entrada, mediante apresentação de documento comprobatório na compra e na entrada do estádio. 

    Os ingressos antecipados começam a ser vendidos na quinta-feira, a partir das 9h, até sábado, meio-dia, nos postos da Liga de Futebol, no Calçadão da Rua Halfeld; no centro de treinamento, no Bairro Santa Terezinha; na sede social do Tupi (Rua José Calil Ahouagi 332); e nas cinco lojas do Bahamas localizadas no Centro, Zona Sul, Região Norte, Manoel Honório e Cidade Alta. 

    A Polícia Militar (PM) pretende empregar cerca de 75 homens na segurança, que terá apoio de seis guardas municipais, dez agentes de trânsito e seis agentes da fiscalização da Secretaria de Atividades Urbanas. De acordo com orientação da PM e do Corpo de Bombeiros, garrafas, objetos pontiagudos, rádios com pilhas grandes e artefatos pirotécnicos não serão permitidos, bem como qualquer material combustível, como cartazes, papel picado e papel higiênico. 

    Além disso, será mantido o posto médico do estádio com apoio do Corpo de Bombeiros e do Samu, além de uma ambulância da Unimed para atendimento ao campo. 

    Transporte coletivo 
    Durante a reunião preparatória para o jogo, os representantes da Settra informaram que será mantido o mesmo esquema do jogo entre Tupi e Cruzeiro. Serão 12 ônibus disponibilizados para o transporte dos torcedores saindo do Centro, no ponto em frente ao Procon, na Avenida Itamar Franco, a partir das 13h15. Os ônibus seguirão em direção ao estádio até meados do primeiro tempo. O último veículo partindo no sentido Estádio-Centro sairá do Municipal até uma hora após o término da partida. 

    Serão mantidos ônibus saindo de 11 bairros da cidade, a partir das 14h, contemplando todas as regiões, com deslocamento direto para o municipal. O retorno do estádio aos bairros será 15 minutos após o término da partida. Haverá coletivos saindo dos bairros Santa Lúcia, Filgueiras, Sagrado Coração de Jesus, Floresta, São Benedito, Santo Antônio, Alto Grajaú, Vivendas da Serra, Linhares, Progresso e Milho Branco.

    * Mais informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Esporte e Lazer (SEL), pelo telefone 3690-7807.
    SECRETARIA DE ESPORTE E LAZER

    COMANDO MILITAR DO NORDESTE - CONVITE


    BRASIL REDUZ PRESENÇA MILITAR NO HAITI


    A redução do efetivo de milita­res brasileiros na missão de paz no Haiti começou na semana passada, quando 330 homens deixaram o país. Na quarta-feira, partiu o navio Garcia D Ávila, car­regando boa parte dos veículos e de materiais de alojamento usa­dos no 2º Batalhão de Infantaria de Força de Paz (Brabat 2). Esses são os passos mais visíveis da ex­tinção do batalhão, que deixou de prestar serviços no dia 12 de abril e, até junho, não terá mais nenhum representante.
    Constituído em março de 2010 com o objetivo de prestar auxílio humanitário no pós-terremoto, o batalhão deixa o Haiti num mo­mento em que a violência voltou a crescer, principalmente na região da Grande Bel-Air, que inclui os bairros mais populosos de Porto Príncipe e é parte da área de atua­ção do batalhão.
    Não há números oficiais, mas um levantamento da ONG Viva Rio no Haiti, feito com base em in­formações de líderes comunitá­rios, da polícia haitiana e da Mis­são das Nações Unidas para a Esta­bilização no Haiti (minustash), mostra que a taxa de homicídios na região era, em 2006, de 32 por 100 mil habitantes. Em 2010, ano do terremoto, foi para 50 e, entre novembro de 2011 e outubro de 2012, saltou para 104.
    Para o comandante do bataIhão, coronel Sinval dos Reis Leite, a saída do Brabat 2 não vai interfe­rir na segurança da população. Ele afirma que a tarefa dessa unidade era “especificamente humanitá­ria e acabou recebendo uma área operacional para prover seguran­ça”. Segundo ele, “antes do terre­moto só existia um Brabat, com cerca de 1.200 homens, e isso será reconstituído”.A área coberta pe­lo batalhão que será extinto será dividida entre os militares brasi­leiros e o Exército do Nepal.
    A violência na região, segundo o coronel, é volátil. Os motivos, explica Pedro Braum Azevedo da Silveira, pesquisador e consultor de segurança do Viva Rio no Hai­ti, são vários, e a luta por poder entre as cerca de dez gangues da Grande Bel-Air é um deles.
    Segundo o coronel Sinval, des­de dezembro, quando assumiu o comando do batalhão, nenhum tiro real foi disparado. Balas de borracha foram usadas em even­tos avaliados como esporádicos. “O mais surpreendente foi que au­mentamos a sensação de seguran­ça sem precisar dar nenhum tiro.”
    Passaram pelo batalhão que deixa de existir, em três anos e três meses de operação, 4.787 militares brasileiros.
    O material usado pelo batalhão foi dividido em quatro grupos: parte será repatriada para o Brasil, outros equipamentos serão reuti­lizados na base que permanece no Haiti, alguns objetos serão doados e o restante será descartado.
    O navio Garcia D’Ávila, que tem 140 metros de comprimento e pode carregar até 8.751 tonela­das, leva ao Brasil veículos (viatu­ras, caminhões, carros de comba­te e ambulâncias) e contêineres com materiais como geradores, unidade de purificação de água, barracas, coletes e capacetes.

    Prefeitura de São Paulo libera alistamento militar pela Internet


    Jovens podem agendar data e hora de alistamento na Junta Militar online, sem precisar enfrentar filas
    A Prefeitura do Estado de São Paulo liberou na última semana o serviço de alistamento militar pela Internet. Agora é possível agendar data e hora de comparecimento à Junta Militar pelo endereço agendamento.prefeitura.sp.gov.br.
    O site também permite que o jovem verifique qual o endereço da Junta Militar mais próxima de sua residência. Para usar o sistema é necessário fazer um registro prévio e fornecer nome, data de nascimento, e-mail para contato e documento de identidade (pode ser tanto certidão de nascimento, quanto RG).
    Após realizado o agendamento, o sistema emite um número de protocolo, que deve ser apresentado na Junta Militar no dia e horário agendado.
    Vale lembrar que todos os jovens do sexo masculino devem alistar-se para Exército, Marinha ou Aeronáutica no ano em que completam 18 anos de idade. O período de alistamento inicia no primeiro dia útil do mês de janeiro e vai até o último dia útil do mês de junho.
    É necessário apresentar à Junta a certidão de nascimento ou RG original, CPF, comprovante de residência e uma foto 3x4 recente.

    Hospital Geral de Juiz de Fora – Promoção de Oficiais

    Juiz de Fora (MG) – No dia 30 de abril, o Hospital Geral de Juiz de Fora realizou solenidade de promoção de oficiais, durante a qual foram lidas as portarias de promoção (dois ao posto de Tenente-Coronel e três ao posto Major), e entregues as insígnias aos militares. 

    Foto: Hospital Geral de Juiz de Fora

    Foto: Hospital Geral de Juiz de Fora

    Foto: Hospital Geral de Juiz de Fora

    www.exercito.gov.br