sábado, 20 de dezembro de 2014

ACIDENTE HOJE PELA MANHÃ DEIXA FERIDOS EM JUIZ DE FORA

Foto: Raphael

https://www.facebook.com/JFDepressao?fref=nf

ANIVERSÁRIO DE AMIGOS - 20.12.14

Renato Braga



João Dias Ferreira Júnior


Gabriel Medina é campeão mundial de surfe


RIO - O surfe brasileiro viveu um dia histórico no Havaí. Gabriel Medina fez Pipeline virar o Maracanã e conquistou o título mundial com um desempenho incrível na onda mais famosa do mundo. A confirmação da conquista veio com a derrota de Mick Fanning para outro brasileiro, Alejo Muniz, na quinta fase. Medina seguiria adiante até a final, quando perdeu para Julian Wilson em uma decisão apertada.

— Não sei o que falar. É sensacional. É o melhor dia da minha vida. Amo essa torcida, amo esse esporte e sou muito agradecido pelo trabalho que tenho. Tudo que eu sonhava agora é realidade. Alcancei meu objetivo — disse o emocionado campeão.



O título veio quando Medina já estava na água, pronto para sua bateria das quartas de final. No confronto anterior, Mick Fanning não encontrou as ondas e foi superado por Alejo Muniz. Já na contagem regressiva, com o mar sem ondas, Medina e Alejo se abraçaram, com o novo campeão mundial chorando e parecendo não acreditar no feito. Ele ainda foi abraçado por Fanning.

Medina saiu da água, deixando sua bateria das quartas de final, e foi saudado por uma multidão de brasileiros na areia. Carregado nos ombros, Medina chorava sem parar. Após comemorar, abraçar a família e até mesmo dar entrevistas, Medina voltou para a água e ainda teve tempo de vencer a bateria contra Filipe Toledo, avançando para as semifinais.


Na semifinal, Medina superou o australiano Josh Kerr por 13,60 a 9,43, avançando pela primeira vez para a decisão do Pipe Masters. Gabriel Medina pareceu ter guardado o melhor para a final. Diante de outro australiano, Julian Wilson, o brasileiro pegou um tubo muito longo para Backdoor (a direita de Pipeline) e saiu quando ninguém mais esperava. A nota foi um 10 unânime. Wilson tinha um 9,93 e conseguiu um 9,70 no minuto final. Medina veio na onda de trás em um belo e difícil tubo de Pipeline. Quando todos apostavam na vitória do brasileiro, a nota saiu em 9,20. Vitória de Wilson por 19,63 a 19,20 pontos.

O ÚLTIMO DIA DO PIPE MASTERS

Depois de cinco dias de adiamentos, com Pipeline longe das condições ideais, as ondas enfim apareceram no Havaí, com mais de dois metros de altura, e o Pipe Masters recomeçou. As baterias da terceira fase entraram na água a partir das 7h50 locais (15h50 de Brasília), e a organização adotou novamente o 'dual format', com duas baterias sendo realizadas ao mesmo tempo para acelerar o cronograma.

Aos gritos de "Brasil, Brasil" por parte de torcedores na areia, Gabriel Medina entrou na água pouco antes das 17h para enfrentar o havaiano Dusty Payne. Dusty pegou a primeira onda, com um 4,67 em um tubo para Backdoor (a direita de Pipeline). Medina esperou um pouco mais, mas pegou uma onda da série para a esquerda e, com um belo tubo, tirou um 8,83. Logo depois ele somou um 5,83, abrindo uma boa vantagem.

 O havaiano reagiu com um 7,17, mas novamente Medina esperou por uma onda boa e, agora para Backdoor, achou outro longo e perfeito tubo para receber outro 8,83, definindo a vitória: 17,66 a 11,84.

- Eu sabia que Dusty era um cara difícil de derrotar. Estava focado no que eu tinha que fazer. Queria fazer meu melhor. Achei duas ondas divertidas lá atrás e estou pensando apenas em surfar - disse Medina.

Na sequência, Mick Fanning teve uma bateria lenta contra o francês Jeremy Flores, demorando mais de dez minutos para pegar sua primeira onda. Jeremy, porém, não aproveitou e teve apenas escores baixos (4 e 3,67). Com três minutos para o fim, Fanning achou um belo tubo para a direita, recebeu um 8,17 e virou a bateria, continuando na briga pelo título.


Na quarta fase, porém, Fanning, em uma bateria somente de australianos, não achou ondas boas e perdeu para Adrian Buchan, caindo para a repescagem e vendo o caminho para o título ficar mais longo. Na repescagem, Fanning foi irreconhecível. Conseguiu apenas duas ondas fracas (1,57 e 1,27) e foi superado por Alejo, dando início ao carnaval brasileiro nas areias havaianas.

— É sensacional essa felicidade dele. Você pode ouvir a torcida. Foi um dia especial para mim também. Tudo que eu queria fazer era talvez ajudar o Gabriel. Estou muito feliz de ser parte disso — vibrou o catarinense Alejo Muniz.

Final:

Julian Wilson 19,63 x 19,20 Gabriel Medina

Semifinais:

1 - Gabriel Medina 13,60 x 9,43 Josh Kerr

2 - Julian Wilson 13,16 x 3,17 Adrian Buchan

Quartas de final:

1 - John John Florence 4,04 x 6,00 Josh Kerr

2 - Gabriel Medina 4,30 x 3,27 Filipe Toledo

3 - Adrian Buchan 12,17 x 3,77 Alejo Muniz

4 - Kai Otton 2,77 x 17,83 Julian Wilson

Baterias da quinta fase:

1 - Michel Bourez 7,00 x 14,00 Josh Kerr

2 - Filipe Toledo 14,66 x 3,84 Owen Wright

3 - Mick Fanning 2,84 x 6,53 Alejo Muniz

4 - Julian Wilson 17,46 x 10,34 Sebastian Zietz

Baterias da quarta fase:

1 - John John Florence (HAV) 6,74, Owen Wright (AUS) 5,93 e Michel Bourez (TAI) 6,40

2 - Josh Kerr (AUS) 4,97, Filipe Toledo (BRA) 15,23 Gabriel Medina (BRA) 15,67

3 - Julian Wilson (AUS) 6,43, Adrian Buchan (AUS) 6,86 e Mick Fanning (AUS) 6,47

4 - Sebastian Zietz (HAV) 4,54, Kai Otton (AUS) 7,06 e Alejo Muniz (BRA) 1,27

Confira as baterias da terceira fase:

John John Florence (HAV) 16,33 x 12,16 Adam Melling (AUS) 

Owen Wright (AUS) 12,20 x 11,17 Freddy Patacchia (HAV) 

Michel Bourez (TAI) 9,67 x 7,00 Matt Wilkinson (AUS) 

Josh Kerr (AUS) 10,50 x 7,87 Jadson André (BRA) 

Miguel Pupo (BRA) 5,17 x 12,17 Filipe Toledo (BRA) 

Gabriel Medina (BRA) 17,66 x 11,84 Dusty Payne (HAV) 

Kolohe Andino (EUA) 1,40 x 9,40 Julian Wilson (AUS) 

Bede Durbidge (AUS) 1,33 x 11,53 Adrian Buchan (AUS) 

Mick Fanning (AUS) 10,84 x 7,67 Jeremy Flores (FRA) 

Joel Parkinson (AUS) 6,67 x 8,93 Sebastian Zietz (HAV) 

Nat Young (EUA) 9,44 x 10,67 Kai Otton (AUS) 

Kelly Slater (EUA) 13,10 x 15,50 Alejo Muniz (BRA)


http://oglobo.globo.com/esportes/gabriel-medina-campeao-mundial-de-surfe-14878673

Vestibular proibido em dois cursos da Unipac JF

A Universidade Presidente Antônio Carlos (Unipac), campus Juiz de Fora, recebeu sanções administrativas do Ministério da Educação (MEC) em razão de seu desempenho no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) do ano passado e no Conceito Preliminar de Curso (CPC). Com isso, a instituição não pode mais promover novos vestibulares para o curso de graduação em medicina veterinária e o tecnológico em gestão ambiental. A unidade local também está proibida de ampliar ou diminuir o número de vagas, elaborar novos programas de pesquisa e atividades de extensão e criar novos cursos de biomedicina, fisioterapia, medicina e nutrição. Todas estas graduações, incluindo as duas proibidas de promover vestibular, receberam conceito 2 no CPC e no Enade, sendo que medicina veterinária e gestão ambiental são reincidentes. A perda de autonomia determinada pelo MEC afeta todos os seis cursos. Conforme o MEC, são considerados insatisfatórios resultados 1 e 2, em uma escala que pode ir até 5.
Em todo o país, 27 cursos, incluindo os dois da Unipac, estão com os exames de vestibular suspensos. Com relação à perda de autonomia, foram 123 em todo o país. Nenhuma outra faculdade de Juiz de Fora foi impactada com o resultado. A Tribuna entrou em contato nesta sexta-feira (19) com o diretor da unidade local, Gilberto Esteves, que confirmou o problema. Porém, ele informou que Unipac apenas irá se pronunciar sobre o assunto quando for comunicada oficialmente pelo MEC. “Por enquanto só tenho notícias através da imprensa, pois estou viajando e não tive acesso ao Diário Oficial da União (onde a decisão foi publicada).”
O Enade é aplicado aos estudantes de graduação durante o primeiro e o último ano do curso e tem como objetivo acompanhar o processo de aprendizagem e do desempenho acadêmico dos alunos. Já o CPC é calculado no ano seguinte ao da realização do Enade e avalia o desempenho dos estudantes, o corpo docente, a infraestrutura, recursos didático-pedagógicos e demais insumos.
http://www.tribunademinas.com.br/vestibular-proibido-em-dois-cursos-da-unipac-jf/

CARTÕES DE NATAL RECEBIDOS






quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Ministério Público pede cassação do governador eleito por Minas Fernando Pimentel

Eleito governador de Minas Gerais para os próximos quatro anos, a partir de 2015, Fernando Pimentel (PT) pode ter o diploma cassado a pedido da Procuradoria Regional Eleitoral em Minas Gerais (PRE-MG). O mesmo vale para o vice da chapa, Antônio Andrade (PMDB).

O pedido é do procurador regional eleitoral Patrick Andrade, que quer ainda a decretação de inelegibilidade dos eleitos. Conforme a ação, “a campanha de Fernando Pimentel e Antônio Andrade foi ilicitamente impulsionada por inaceitável abuso de poder econômico”, evidenciado “pela superação do limite de gastos e por adoção de um método dúbio de realização de despesas”.

A prestação de contas da campanha petista em Minas não foi aprovada pelo Tribunal Regional Eleitoral, o que serve de fundamento para a ação da procuradoria.
A assessoria de Fernando Pimentel foi procurada pela Itatiaia, mas ainda não se manifestou sobre o caso.

http://www.itatiaia.com.br/noticia/ministerio-publico-pede-cassacao-do-governador-eleito-por-minas-fernando-pimentel

Câmara aprova correção em 6,5% da tabela do imposto de renda

Fernanda Calgaro e Nathalia Passarinho

A Câmara dos Deputados concluiu nesta quarta-feira (17) a votação da Medida Provisória 656, com a aprovação de uma emenda que prevê reajuste de 6,5% na tabela do imposto de renda. A matéria ainda precisa ser votada pelo Senado.

O reajuste, proposto pelo DEM, com base no IPCA, é para compensar a perda inflacionária no ano. A correção, porém, é maior do que a desejada pelo governo, que defendia reajuste de somente 4,5%, equivalente ao centro da meta de inflação.
Durante entrevista coletiva nesta quarta no Palácio do Planalto, o ministro de Relações Institucionais, Ricardo Berzoini afirmou que o reajuste do imposto de renda para 6,5% "não era a posição do governo". O ministro, no entanto, afirmou que é preciso esperar o fim da tramitação do projeto para "emitir qualquer juízo de valor".
COMO FICARIA A TABELA DO IMPOSTO
DE RENDA COM CORREÇÃO DE 6,5%
Base de cálculo
Alíquota
Parcela a deduzir
Até R$ 1.903,98
isento
isento
De R$ 1.903,98 até R$ 2.853,44
7,5%
R$ 142,80
De 2.853,45 até R$ 3.804,64
15%
R$ 356,81
De R$ 3.804,65 até R$ 4.753,96
22,5%
R$ 642,15
Acima de R$ 4.753,96
27,5%
R$ 879,85
O líder do governo preferiu não responder se a presidente Dilma Rousseff vetará esse artigo da medida provisória. “Eu nunca falo em veto e não veto. Essa é uma circunstância da prerrogativa da presidente”, afirmou, acrescentando, no entanto, que o Executivo estuda uma correção para a tabela. “O parlamento expressou uma vontade de maioria. Eu registrei a posição do governo. Agora, vamos ao processo de negociação que a presidente e os ministros que ela designar para isso vão encaminhar ao longo das próximas semanas”, disse.
Se o texto for aprovado pelos senadores e sancionado em seguida pela Presidência da República, pessoas que ganham até R$ 1.903,98 ficarão isentas de imposto de renda (veja na tabela ao lado). Atualmente, o teto de isenção é de R$ 1.787,77. O reajuste de 6,5% seria aplicado também nas demais faixas da tabela.
A correção da tabela era uma das promessas de campanha da presidente Dilma Rousseff, mas possivelmente o reajuste seria mantido em 4,5%. Ainda durante o período eleitoral, uma medida provisória, a MP 644, que tratava do assunto, perdeu a validade.
Segundo parlamentares governistas, o Planalto havia sinalizado que enviaria um novo texto com proposta de reajuste na semana que vem, quando tem início o recesso parlamentar, para que só fosse analisado no ano que vem.
Votação
No plenário, o líder do governo, Henrique Fontana (PT-RS), se esforçou para tentar barrar o reajuste e fez um apelo para os deputados que não aprovassem a medida. “Diante do atual cenário econômico do país, este percentual não é o que o governo entende possível para alterar a tabela do imposto de renda”, afirmou Fontana.
O líder do DEM, Mendonça Filho (PE), defendeu a emenda dizendo que a inflação tem ficado distante do centro da meta, de 4,5%, e que a tabela ficaria defasada.
A votação da medida provisória começou na sessão de terça à noite, mas a análise da emenda sobre o imposto de renda, por falta de acordo, havia ficado pendente.
Diante do impasse, os líderes do governo aproveitaram o esvaziamento da sessão durante a madrugada e pediram a verificação de quórum. Como não havia o mínimo exigido de 257 deputados presentes, a sessão acabou suspensa.

Renegociação da dívida dos clubes e aviação
A medida provisória incluía outros temas, que já haviam sido aprovados. Entre as medidas, estão novas regras para a renegociação das dívidas de clubes de futebol e benefícios à aviação regional.

A proposta original da MP estabelecia normas de desoneração tributária para estimular a indústria nacional e impulsionar o mercado imobiliário, mas outras matérias acabaram sendo introduzidas no texto pelos parlamentares.

No caso dos times de futebol, o texto prevê um prazo de 20 anos para que as entidades desportivas quitem seus débitos com a União, com redução de 70% das multas isoladas, de 30% dos juros de mora e de 100% sobre o valor de encargo legal.

A medida é polêmica porque não exige dos clubes nenhuma contrapartida para coibir que voltem a contrair os mesmos débitos, o chamado "fair play" financeiro.

Aeroportos privados
Outra questão controversa é a inclusão da liberação da construção de aeroportos privados para voos comerciais. A medida facilita, por exemplo, a construção de um projeto bilionário em Caieiras, na região metropolitana de São Paulo. O empreendimento encontra resistência dos grupos que pagaram altos valores para arrematar as concessões dos aeroportos de Guarulhos e Viracopos.

A MP reduz também de 45% para 20% o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) incidente sobre armas de fogo e isenta os produtos do imposto, inclusive peças e munição, quando for para uso pessoal dos integrantes das Forças Armadas.

O texto ainda prorroga, até o fim de 2018, o regime de tributação de construtoras de habitações no programa federal Minha Casa, Minha Vida e prevê novo regime de tributação de bebidas como água, refrigerante e cerveja.
http://g1.globo.com/politica/noticia/2014/12/camara-aprova-correcao-em-65-da-tabela-do-imposto-de-renda.html

Juiz do Maranhão que perdeu voo e mandou prender funcionários da TAM é afastado

Oswaldo Viviani - O Globo

SÃO LUÍS — O juiz Marcelo Testa Baldochi – que mandou prender três funcionários da empresa aérea TAM, no aeroporto de Imperatriz (a 636 km de São Luís), após chegar atrasado para um voo e ser impedido de embarcar – foi afastado de suas funções na manhã desta quarta-feira. Também foi aberto um processo administrativo disciplinar (PAD) contra o magistrado. O juiz pode recorrer da decisão.

O afastamento, por tempo indeterminado, foi decidido na última sessão ordinária do Tribunal de Justiça do Maranhão antes do recesso de fim de ano. O desembargador Antonio Fernando Bayma Araujo, que presidiu a comissão de sindicância do TJ-MA, foi a Imperatriz nesta semana ouvir os envolvidos. Hoje, ele propôs no plenário do TJ-MA o afastamento do juiz.

— Ficou evidenciado, no caso, o abuso de autoridade do magistrado e seu mau exemplo para o todo o Poder Judiciário — disse ele ao GLOBO.

O episódio da prisão dos três funcionários da TAM ocorreu na noite do último dia 6, no aeroporto Renato Cortez Moreira, em Imperatriz, e foi gravado em uma celular por uma pessoa que estava no guichê da empresa aérea.

— Quietinho. O senhor está presinho, não sai daqui. Pra aprender a respeitar o consumidor — diz o magistrado a um atendente da empresa aérea. — E o senhor também — afirma o juiz a outro funcionário que supostamente tenta intervir a favor do colega.

A Polícia Militar foi chamada e conduziu três funcionários apontados pelo juiz ao Plantão da 10ª Delegacia Regional de Imperatriz. Eles foram ouvidos e, em seguida, liberados. Um dos funcionários conduzidos à polícia, o despachante de voo Argemiro Augusto, disse a colegas de trabalho que se sentiu “humilhado” pelo juiz, já que os procedimentos de embarque tinham sido encerrados.

Outro funcionário conduzido, o agente de bagagem Alessandro Rodrigues, afirmou, em reportagem do “Fantástico”, que “é triste para um pai de família sair de casa para trabalhar e de repente se deparar com uma situação dessa”.

CARTA PÚBLICA NA INTERNET

Até agora, o juiz não quis falar diretamente com a imprensa mas, diante da repercussão do caso, Marcelo Baldochi prestou esclarecimentos em carta pública divulgada na internet:
“O voo marcado para as 21h02 admitia o embarque, segundo as normas de aviação civil e do que consta do próprio bilhete, 15 minutos antes da partida”, disse.

“Todavia, mesmo com o check-in em mãos, às 20h32, os passageiros Marcelo Baldochi e Camila Costa foram impedidos de embarcar sob a alegação de que deveriam estar no local às 20h”, relatou o juiz.

O magistrado ainda disse que o agente da TAM não prestou qualquer informação e disse que “não era problema dele”, isolando-se numa sala da companhia. Baldochi informou ter registrado às 20h42 uma ocorrência na Infraero/Anac contra a companhia e seu agente. Por fim Baldochi ainda afirmou que “o agente incorreu em ilícito civil e criminal, e toda e qualquer pessoa pode dar voz de prisão e chamar a polícia”.

“Está na lei e ali se fazia presente um consumidor que exigia seus direitos”, completou.

TRABALHO ESCRAVO

O magistrado é paulista e atuou por mais de seis anos na comarca de Senador La Rocque. Ele estava na 4ª Vara Cível de Imperatriz. Baldochi já foi acusado pela fiscalização do grupo móvel do Ministério do Trabalho, em 2007, de se utilizar de 25 trabalhadores em situação degradante (análoga à escravidão) numa propriedade sua – a Fazenda Pôr do Sol, em Bom Jardim (MA). Em 2011, Marcelo Baldochi foi condenado pela Justiça maranhense a indenizar em R$ 31 mil quatro desses trabalhadores – um deles menor de idade, na época.

Três entidades da magistratura – Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Associação dos Magistrados do Maranhão (AMMA) e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional Maranhão – condenaram a atitude do juiz de dar voz de prisão aos trabalhadores da empresa aérea após chegar atrasado ao aeroporto e perder o voo.


http://extra.globo.com/noticias/brasil/juiz-do-maranhao-que-perdeu-voo-mandou-prender-funcionarios-da-tam-afastado-14859172.html#ixzz3MDLjOrMm

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

MARIDO DA GRACIOSA FATUROU R$ 614 MILHÕES NA PETROBRÁS

Brasília – Não adianta só tirar o sofá da sala, exigir a expulsão de toda diretoria da Petrobrás e botar um monte de gente na cadeia. O Brasil vai continuar sendo dilapidado enquanto o governo petista estiver no poder. A Dilma está cada dia mais atolada nos escândalos. Criar factoides como o da Comissão da Verdade na tentativa de tirar a corrupção das manchetes, agora que a lama chegou na sala principal do Planalto, também é paliativo. A presidente não pode negar, por exemplo, que não é da sua responsabilidade a nomeação de Graça Foster para a Petrobrás, uma dirigente que se mostrou incompetente e desastrada no comando da empresa. No período de dezembro de 2010 a dezembro deste ano, Foster conseguiu até então o inimaginável:  desvalorizou a Petrobrás em 80,4%. Além disso, ainda mentiu cinicamente na CPI quando disse desconhecer as falcatruas na empresa, agora desmascarada pela ex-gerente Venina Velosa da Fonseca que diz que ela foi informada de tudo por mensagens na internet.

Graça, que é chamada carinhosamente de Graciosa pela presidente, conheceu a Dilma quando ela exercia o cargo de secretária de Energia do Rio Grande do Sul, quando ambas cuidaram do gasoduto Bolívia/Brasil (Gasbol), parceria que envolveu a BP e a Shell. De lá pra cá viraram amigas e confidentes.  Dilma também é amiga de Colin Vaughan Foster, marido de Graciosa, de quem herdou o sobrenome. Colin é figura carimbada  na Petrobrás. Frequenta com  intimidade e desenvoltura os gabinetes dos diretores no suntuoso prédio da Avenida Chile, no Rio. Só nos últimos três anos, a C. Foster assinou 43 contratos com a estatal, dos quais 20 sem licitação para fornecer componentes eletrônicos para a área de tecnologia, exploração e produção.

Graça Foster, se sair amanhã da Petrobrás por causa dos escândalos, não tem do que se queixar. Além de gozar de todos os benefícios de uma rica aposentadoria com direito a bônus e salário integral, ainda terá uma vida confortável ao lado de Foster. A empresa do maridão, a C. Foster Serviços e Equipamentos faturou 614 milhões com a Petrobrás nos 43 contratos assinados.

Colin circula livremente pelos corredores da empresa apresentando-se como marido de Graciosa. Faz lobby em todos os setores e a sua empresa alimenta uma série de outras que formam um cartel no fornecimento de equipamentos. O casal é íntimo da presidente. Ao nomeá-la, Dilma sabia dos interesses de Colin dentro da Petrobrás e dos contratos da sua empresa. Mas nada disso pesou na escolha. Não pesou, inclusive, que se tratava de uma imoralidade, uma vergonha, uma aberração que só acontece numa republiqueta de bananas como a nossa.

Por isso, minhas senhoras e meus senhores, não adianta tirar apenas o sofá da sala. Precisamos, isso sim, extirpar o câncer da corrupção que corrói as nossas estatais, hoje ocupadas por sindicalistas incompetentes e despreparados fincados em cargos estratégicos do governo.

Os depoimentos na Justiça já apontam indícios do envolvimento da Dilma nos escândalos da refinaria de Pasadena, no Texas, quando esteve à frente do Conselho da Petrobrás. Agora, mostra sua conivência com a Graciosa e com toda patifaria na Petrobrás, como acusou o doleiro Youssef. Portanto, diante de tanto descalabro, não podemos continuar varrendo mais a sujeira para debaixo do tapete. Precisamos tirar o tapete, o sofá e descontaminar a sala. E o caminho, depois, é um só: o impeachment da Dilma.
http://www.diariodopoder.com.br/artigos/marido-da-graciosa-faturou-r-614-milhoes-na-petrobras/

"Preciso ser investigada", diz presidente da Petrobras

Graça Foster confirmou ter colocado o cargo à disposição da presidente Dilma Rousseff

AE
graca-ch.jpg
A presidente da Petrobras, Graça Foster, confirmou na manhã desta quarta-feira, 17, que colocou seu cargo e de toda a diretoria à disposição da presidente Dilma Rousseff. Segundo ela, a decisão foi tomada diante do risco de que a permanência da diretoria inviabilizasse a aprovação do balanço da estatal. Durante um café da manhã com jornalistas, Graça defendeu que ela e a diretoria atual sejam investigados em razão dos desdobramentos da Operação Lava Jato e disse não ter "receio da verdade".
Graça afirmou ainda que as investigações Lava Jato, que apuram esquema de desvios de recurso público, parte envolvendo contratos da estatal, indicaram a necessidade de "uma sinalização positiva de que a diretoria está em condições, do ponto de vista de sua governança, de assinar o balanço". "Eu preciso ser investigada, os diretores, nós precisamos ser investigados. E para isso precisamos das auditorias internas. Eles chegam, entram na sua sala, abrem seus armários, pegam seus papéis, computadores. E isso é bom", afirmou Graça.
 
A pressão para que Graça Foster deixe o comando da estatal aumentou após a revelação de que a presidente da estatal, Graça Foster, foi informada sobre irregularidades antes de virem à tona as investigações da Operação Lava Jato, da Polícia Federal. Além de não terem sido tomadas providências em parte das denúncias da geóloga Venina Velosa da Fonseca, ex-gerente executiva da Diretoria de Abastecimento, a funcionária relatou ter sofrido represálias da antiga e da atual direção.
 
Nesta terça, em nota oficial, a Petrobras colocou em xeque a versão apresentada pela ex-gerente e afirmou que as quatro mensagens enviadas por Venina a Graça e ao atual diretor de Abastecimento, José Carlos Cosenza, em abril de 2009, agosto e outubro de 2011 e em fevereiro de 2012 "não explicitaram irregularidades relacionadas " nos gastos de comunicação na diretoria de Abastecimento, em negociações de óleo combustível na Ásia e nas obras da Refinaria de Abreu e Lima, em Pernambuco. 
 
Segundo Graça, a diretoria da estatal permanece "enquanto contar com a confiança da presidente e ela entender que devo ficar". Graça afirmou que conversou com Dilma "uma, duas, três vezes", mas que uma definição "é ela quem tem que falar". Sobre Venina, a presidente afirma que as revelações foram uma "retaliação" pelo fato de a ex-gerente ter sido afastada do cargo.
 
"A coisa mais importante para a diretoria é a Petrobras, muito mais importante que o meu emprego. Temos discutido isso no conselho também, essa é a motivação de se discutir a conveniência de nossa permanência em função do balanço", disse a executiva. "Os funcionários, 85 mil funcionários, cobram que sejamos respeitados também pela governança", completou.
 
Segundo a executiva, a não apresentação do balanço não foi uma imposição da auditoria externa, PriceWaterhouse Coopers (Pwc). "Nós não estávamos prontos", afirmou durante coletiva de imprensa nesta manhã. "Os resultados das investigações tornaram evidente que nós precisamos fazer baixa no patrimônio líquido da companhia."

http://www.istoe.com.br/reportagens/397176_PRECISO+SER+INVESTIGADA+DIZ+PRESIDENTE+DA+PETROBRAS?pathImagens=&path=&actualArea=internalPage

CONCURSO RAINHA DO CARNAVAL DE JUIZ DE FORA - INSCRIÇÕES ABERTAS

Aquecendo os tamborins para o Carnaval 2015, estão abertas as inscrições para a Rainha do Carnaval!
Para se candidatar não é necessário estar vinculada as Escolas de Samba de Juiz de Fora, as interessadas devem ser brasileiras, residir na cidade nos últimos 2 anos, ter idade entre 18 e 30 anos, nunca ter sido eleita, e é  claro ter muito samba no pé!
Para mais informações entre em contato pelo telefone 3690 7036.
O Concurso da Rainha do Carnaval 2015 é uma realização da Liga Independente das Escolas de Samba de Juiz de Fora com o apoio da Prefeitura de Juiz de Fora, através da Funalfa.

AOS AMIGOS DA ATIVA E RESERVA ATIVA DAS FORÇAS ARMADAS


O blog agradece aos amigos da ativa e reserva ativa das Forças Armadas, Exército, Marinha e Aeronáutica, que durante o ano de 2014 prestigiaram nossas postagens, que visam passar informações de interesse da tropa, em especial aos que estão em missões no exterior

Nos preocupamos apenas em divulgar dados coletados na internet ou nos enviados por companheiros através e-mail, sem omitir opinião pessoal, deixando que o leitor o faça na página dos comentários.

Aproveitamos para desejar um Feliz Natal e um ano novo cheio de amor e paz em nossos corações.

Que Deus nos continue abençoando e que venha 2015.


Montanha!

Possível renovação do comando das Forças Armadas agita a caserna

por Gerson Camarotti


Agência Brasil
Comandantes Enzo Peri (Exército), Juniti Saito (Aeronáutica) e Moura Neto (Marinha)

Uma disputa interna agita a caserna de olho na escolha dos novos comandantes das Forças Armadas, segundo apurou a repórter Tahiane Stochero, do G1. Os atuais chefes do Exército, da Aeronáutica e da Marinha ocupam os cargos desde o segundo mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e foram mantidos pela presidente Dilma Rousseff em seu primeiro mandato.
A expectativa no meio militar é que Dilma renove os comandos das três forças, estagnados desde o início de 2007.

Na Força Aérea Brasileira, os três nomes no topo da lista são os dos brigadeiros Nivaldo Rossato  que está no Estado-Maior; Francisco Joseli Parente – há anos comandando o avião presidencial; e Hélio Paes de Barros Júnior – responsável pela área logística. Os três oficiais são os mais antigos da FAB, requisito principal para ocupar o comando.

No entanto, outros fatores podem pesar na escolha, entre os quais o alinhamento do oficial à concepção do atual comandante da FAB, brigadeiro Juniti Saito, no projeto do caça que irá reequipar a Aeronáutica brasileira: o Gripen. Também influenciará na decisão as vagas que estão sendo abertas para oficiais-generais no Superior Tribunal Militar (STM).
Corre por fora nesta corrida pelo comando da FAB o brigadeiro Ricardo Machado Vieira, que foi para a reserva após 46 anos de atividade, mas continua com as prerrogativas do cargo (Vieira passou o bastão do Estado-Maior para o brigadeiro Rossato na semana passada).

Com a troca nos ministérios, a presidente também avalia mudança no Gabinete de Segurança Institucional (GSI), que tem a Abin sob seu guarda-chuva.

Um novo nome também poderia surgir no Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, o braço operacional do ministro da Defesa. Ambos os cargos são ocupados atualmente por generais do Exército.
http://g1.globo.com/politica/blog/blog-do-camarotti/post/possivel-renovacao-do-comando-das-forcas-armadas-agita-caserna.html