sexta-feira, 2 de outubro de 2015

EXPOSIÇÃO MILITAR - FOTOS ANTIGAS


http://www.mariadoresguardo.com.br/

Policial civil ferido por tiro na cabeça morre no HPS

Morreu na manhã desta sexta-feira (2) o policial civil de 36 anos que teria feito um disparo de arma de fogo contra a própria cabeça, na tarde de quinta-feira, em um loja onde funciona um curso de formação de instrutores de autoescola, no Bairro São Mateus, na Zona Sul de Juiz de Fora. 

De acordo com a assessoria de comunicação da Secretaria de Saúde, o homem chegou a passar por procedimento neurocirúrgico, mas não resistiu. O óbito foi constatado às 9h. O corpo deve ser encaminhado para necropsia no Instituto Médico Legal (IML).

http://www.tribunademinas.com.br/policial-civil-ferido-por-tiro-na-cabeca-morre-no-hps/

Duque deixa cargo de diretor na UFJF

Duque deve voltar à sala de aula (ROBERTO FULGENCIO/05-09-14)
Duque deve voltar à sala de aula (ROBERTO FULGENCIO/05-09-14)
Cotado como possível candidato à Prefeitura de Juiz de Fora, o ex-reitor da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Henrique Duque, apresentou ao reitor Júlio Chebli um ofício solicitando sua exoneração do cargo de diretor de Desenvolvimento e Representação Institucional. No documento datado do último dia 24, Duque afirma que o pedido é motivado por “motivos de ordem pessoal”. O pleito foi contemplado, e o nome do novo ocupante do cargo ainda não foi divulgado, dependendo ainda de avaliação do Conselho Superior, que estuda alteração no organograma da universidade.
Apesar de alegar questões pessoais, a decisão não chega a ser uma surpresa. Segundo o próprio ex-reitor, o afastamento da função fez parte de um acordo firmado com a atual Reitoria, de que ele permaneceria no cargo – para o qual foi nomeado em setembro de 2014 – pelo período de um ano. Agora, Duque prepara seu retorno às salas de aula.
Em nota, a Administração Superior agradeceu os serviços de Duque como diretor de Desenvolvimento e Representação Institucional. “Ao longo dos últimos 13 meses, Henrique Duque ratificou seu esforço em prol do crescimento desta instituição, o que já tinha sido a tônica dos oito anos de seu reitorado. Suas ações enquanto diretor de Desenvolvimento e Representação Institucional somam-se aos inúmeros feitos de sua gestão na construção de um legado ímpar para a UFJF.”
Filiação partidária
A divulgação do afastamento de Duque aconteceu na data que, até a sanção da minirreforma eleitoral na última quarta-feira, era o limite para os interessados em disputar as eleições do ano que vem – que acontecem exatamente daqui a um ano – estarem filiados a um partido. Uma mera coincidência, já que desde quarta-feira, a nova legislação estipula que os futuros candidatos precisam “estar com a filiação deferida pelo partido no mínimo seis meses antes da data da eleição.”
Com isso, Duque ganhou um tempo maior para decidir se coloca seu nome para apreciação do leitorado no ano que vem. Cotado como possível postulante à Prefeitura, o ex-reitor já admitiu anseio em seguir na vida pública além dos portões da UFJF, de preferência, em um cargo executivo. O intuito, todavia, depende de análises que o próprio vem fazendo do atual cenário político nacional. “Que essas especulações continuem até abril”, afirma Duque, deixando no ar uma possível empreitada.
Vagner
Outro que pode se beneficiar da mudança na legislação é o vereador Vagner de Oliveira (PR). O parlamentar já conseguiu autoria do Partido Republicano (PR) para deixar a sigla – o que, de fato, foi oficializado. Desde o início do mês passado, Vagner tem mantido conversas com algumas legendas, mas ainda não bateu o martelo sobre por qual partido irá tentar mais quatro anos de mandato na Câmara. “Preciso de um partido em que eu posar expressar meu ponto de vista, ser ouvido e também ouvir”, resume o legislador.

http://www.tribunademinas.com.br/duque-deixa-cargo-de-diretor-na-ufjf/

02 DE OUTUBRO - DIA DO QUADRO COMPLEMENTAR DE OFICIAIS


Parabéns aos integrantes do Quadro Complementar de Oficiais do Exército Brasileiro, que desde 1988 assessoram os comandantes em diversas áreas, tais como Administração, Ciências Contábeis, Comunicação Social, Direito, Enfermagem, Informática, Psicologia e Magistério.

Relatório do TCU rejeita defesa de Dilma em contas de 2014


A presidente Dilma Rousseff - Jorge William / Agência O Globo


BRASÍLIA - O parecer prévio distribuído pelo ministro Augusto Nardes, relator das contas de 2014 da presidente Dilma Rousseff no Tribunal de Contas da União (TCU), recomenda a rejeição das contas. O documento foi encaminhado na noite de ontem aos demais ministros que vão julgar o balanço de 2014, em sessão agendada para as 17 horas da próxima quarta-feira, 7. "As contas não estão em condições de serem aprovadas, recomendando-se a sua rejeição pelo Congresso Nacional", diz o parecer, obtido pelo GLOBO.


A posição de Nardes segue o relatório técnico do TCU sobre as contas de 2014, documento que embasa o voto do relator. Os auditores concluem pela existência de "irregularidades graves na gestão fiscal", o que comprometeu o equilíbrio das contas públicas, segundo o documento. O parecer rejeitou a defesa da presidente para 12 dos 15 indícios de irregularidades listados pelo tribunal, segundo conclusão do documento obtida pela reportagem.

O Ministério Público junto ao TCU, por meio do procurador-geral, Paulo Soares Bugarin, também concluiu sua posição sobre as contas de Dilma. "O MP/TCU manifesta-se por que este tribunal aprove parecer prévio, no sentido de que as contas do governo referentes ao exercício de 2014 não representam as posições financeira, orçamentária, contábil e patrimonial em 31/12/2014, bem como não observaram os princípios constitucionais e legais que regem a administração pública federal", cita Bugarin.

Entre os 12 indícios de irregularidades cuja defesa foi rejeitada estão as chamadas "pedaladas" fiscais, manobra que envolveu R$ 40 bilhões entre 2009 e 2014. O Tesouro Nacional represou repasses aos bancos oficiais, que se viram obrigados a arcar com pagamentos de benefícios sociais como Bolsa Família, seguro-desemprego e abono salarial. Para o TCU, a manobra se configurou uma operação de crédito e infringiu a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Os 14 auditores que assinam o relatório técnico encaminhado a Nardes afirmam que "não foram expostos elementos suficientes para elidir as irregularidades apontadas", em relação a esses 12 itens. A rejeição das contas deve aparecer no voto de Nardes. A análise técnica foi concluída ontem e encaminhada ao gabinete do relator, que distribuiu o documento para os demais ministros do TCU.


O julgamento das contas foi agendado para as 17 horas da próxima quarta-feira, 7, como confirmou o tribunal no fim da manhã desta sexta-feira. A tendência é o plenário aprovar um parecer pela rejeição, o que não ocorre desde 1937. A palavra final é do Congresso Nacional. A oposição quer usar esse parecer para embasar um pedido de impeachment de Dilma.

"A análise permitiu concluir que, no exercício de 2014, houve comprometimento do equilíbrio das contas públicas em razão de irregularidades graves na gestão fiscal, com inobservância de princípios constitucionais e legais que regem a administração pública federal", conclui o relatório técnico. Também foram desrespeitadas "normas constitucionais, legais e regulamentares na execução dos orçamentos da União e nas demais operações realizadas com recursos públicos federais, em especial no que se refere à observância de medidas restritivas, condicionantes e vedações fixadas pela Lei de Responsabilidade Fiscal", finaliza o documento.

O parecer de Nardes, distribuído aos ministros, mantém essa posição da área técnica. Apenas dois itens devem ser aprovados com ressalva, tanto na visão do relator quanto dos auditores.


http://oglobo.globo.com/brasil/relatorio-do-tcu-rejeita-defesa-de-dilma-em-contas-de-2014-17670630

Ex-ministro e empresas são alvos da PF

Eugênio Moraes/Hoje em Dia
operação Acrônimo - fase 3
Descaracterizados, PFs carregam documentos em malotes após buscas em apartamento de ex-ministro
A Polícia Federal (PF) cumpriu na manhã desta quinta-feira, dia (1º), cerca de 40 mandados judiciais em Belo Horizonte, Brasília, São Paulo e Goiás dentro da terceira fase da operação Acrônimo, que tem como principal investigado o governador de Minas Fernando Pimentel (PT). Na capital mineira, o novo alvo é o ex-ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Mauro Borges, conforme o Hoje em Dia adiantou em primeira mão. A Acrônimo investiga lavagem de dinheiro, desvio de verbas federais e caixa 2 eleitoral.

PF deflagra 3ª fase de operação Acrônimo em BH e BrasíliaDurante cerca de duas horas, os investigadores realizaram buscas no apartamento de Borges, no Bairro Belvedere, Zona Sul de Belo Horizonte. Foram apreendidos computadores, tablets e celulares. Após a busca e apreensão, ele foi levado para depor na superintendência da PF. Chegou acompanhado de advogado, em um veículo com os vidros pretos. O ex-ministro foi liberado após ter optado ficar em silêncio durante o interrogatório, que durou cerca de 30 minutos.

Duas testemunhas escolhidas pela polícia numa academia na vizinhança acompanharam as buscas no apartamento. A ação foi seguida também pelo advogado Marcelo Leonardo, que chegou ao local após o início da operação. De acordo com Leonardo, a apuração envolve o período em que Borges foi ministro, entre fevereiro e dezembro de 2014. Atualmente, Borges é presidente da Cemig.

“Não tem qualquer relação com a Cemig. A polícia cumpriu um mandado de busca e apreensão e outro de intimação. Houve apreensão de notebooks, tablets e celulares. Tem a ver com o período em que ele foi ministro do Desenvolvimento em 2014. O ministro que acompanha o processo decretou 48 horas de sigilo. Então não posso fornecer outras informações”, declarou o criminalista.

Borges sucedeu Pimentel no ministério no ano passado, quando o petista deixou a pasta para se candidatar ao governo de Minas. O advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, declarou que o governador não tem relação com a terceira fase da Acrônimo. Além de Pimentel e agora Borges, a investigação tem como alvos a primeira dama de Minas, Caroline Pimentel, o empresário Benedito Oliveira, o Bené, ligado ao Partido dos Trabalhadores (PT), e o assessor especial do governo estadual, Otílio Prado, entre outros.

Em São Paulo, segundo informações do "Estadão", os federais estão na empresa Marfrig. Em outras unidades da federação eles também cumprem mandados nas empresas Odebrecht, Casino, CBF e Gol.

Despacho do ministro Herman Benjamin, do Superior Tribunal de Justiça, mostra que a Marfrig (representante do Grupo Casino), a Pumpido e a Hyundai Motor são investigadas na Acrônimo. "Penso que não há como negar repercussão dessa investigação sobre possíveis ilícitos praticados por prepostos dessas pessoas jurídicas com outros envolvidos", diz trecho do despacho. A investigação corre no STJ, pois o governador tem foro privilegiado.

http://www.hojeemdia.com.br/noticias/ex-ministro-e-empresas-s-o-alvos-da-pf-1.349777

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

EXAURIDA, DILMA PODE OPTAR PELA ‘RENÚNCIA BRANCA’

PRESIDENTE DILMA ROUSSEFF TEM 82% DE REJEIÇÃO. FOTO: ROBERTO STUCKERT FILHO/PR
A presidente Dilma pretende entregar ao PMDB não apenas sete dos maiores ministérios, mas o próprio governo, numa espécie de “renúncia branca”. Refém do PMDB de Eduardo Cunha, que a ameaça com impeachment, e dependente do PMDB do Senado, ela deve transferir oficiosamente o governo para o vice, Michel Temer, e o chefe da Casa Civil, para cuidar de agenda amena, priorizando “assuntos de Estado”.
Dilma viu que é real o risco de impeachment ao ouvir de Lula que “é melhor entregar ministérios ao PMDB do que perder a presidência”.
Dilma está abatida com o apoio da população ao impeachment. Impedir que isso ocorra é o principal compromisso que ela espera do PMDB.
O Ibope mostrou ontem que Dilma “parou de cair” porque, a rigor, já está no fundo do poço. A rejeição dos eleitores a ela chegou a 82%.
Sob “parlamentarismo à brasileira”, não formal, e sem vocação para “rainha da Inglaterra”, Dilma se dedicaria à Defesa e política externa. Leia na Coluna Cláudio Humberto.
http://www.diariodopoder.com.br/noticia.php?i=41321334830

JOSÉ EDUARDO ARAÚJO É EXONERADO DA PRESIDÊNCIA DA EMPÁV

A Prefeitura acertou ontem o desligamento do diretor-presidente da Empav, José Eduardo Araújo, e do diretor financeiro, Theodoro Mendonça. 

Além disso, o prefeito Bruno Siqueira decidiu extinguir a vice-presidência da empresa e diminuir uma outra diretoria da estrutura, ainda a ser definida. A Prefeitura também vai promover a redução de cargos comissionados na unidade. As medidas fazem parte do processo de reestruturação da Empav. 

O nome do sucessor ainda deverá passar por novas discussões, inclusive com o deputado Isauro Calais (PMN), responsável pela indicação de Araújo para o cargo. 

Hoje haverá audiência pública para tratar da empresa, sem a presença do vereador José Emanuel, ora internado no Hospital Monte Sinai para exames.

http://www.tribunademinas.com.br/colunista/painel-pc/page/2/

POLICIAL DISPARA ARMA DE FOGO CONTRA A PRÓPRIA CABEÇA

Um policial civil, 36 anos, teria feito um disparo de arma de fogo contra a própria cabeça, na tarde de ontem, em um loja onde funciona um curso de formação de instrutores de autoescola, no Bairro São Mateus, na Zona Sul. O fato ocorreu por volta das 13h, na Rua São Mateus, causando grande comoção em quem transitava pelo trecho. Depois do disparo, ele foi socorrido por uma unidade do Samu e encaminhado ao Hospital de Pronto Socorro (HPS). Até o fechamento desta edição, a vítima passava por cirurgia.
De acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Militar, a esposa da vítima, 35, que é diretora do curso, contou que o marido teria atentado contra a própria vida, com um disparo na cabeça. Apesar de delegados da 1ª Delegacia Regional de Juiz de Fora e outros policiais estarem no local, ninguém falou com a imprensa. A vítima atuava como escrivão na equipe da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e, há cerca de um mês, passou a fazer parte da banca examinadora do Detran.
Ainda conforme o documento policial, dois alunos do curso que esperavam do lado de fora o início das aulas contaram que escutaram a mulher chorando e dizendo “Não faz isso não”. Eles tentaram entrar na loja, mas foram impedidos pela mulher, que abriu a porta em seguida, quando a dupla viu a vítima caída no chão com ferimento na cabeça e uma pistola próxima de seu corpo.
Uma equipe do Samu foi acionada e fez a estabilização do policial, encaminhando-o para o HPS, onde ele deu entrada na sala cirúrgica em estado grave. Até o fechamento desta edição, a vítima permanecia na sala de cirurgia.
Um vendedor que trabalha na loja ao lado aonde o fato ocorreu contou que não deu para ouvir o barulho do tiro. “Só vi que, de repente, houve um tumulto de pessoas na frente da loja”, relatou. “Foi uma correria danada. Vi quando a mulher da vítima saiu e começou a gritar. Foi uma cena muito forte. Ficamos comovidos e passamos a rezar”, contou outro comerciante da rua.
http://www.tribunademinas.com.br/policial-civil-atira-contra-a-propria-cabeca-na-rua-sao-mateus/

Juiz determina fechamento do batalhão prisional da PM

Paolla Serra

Horas depois de a juíza da Vara de Execuções Penais (VEP) Daniela Barbosa Assumpção de Souza ser agredida durante uma fiscalização no Batalhão Especial Prisional (BEP), em Benfica, na Zona Norte, o juiz Eduardo Oberg, titular da VEP, determinou o fechamento imediato do Batalhão Prisional da PM. O magistrado determinou que todos os 221 policiais militares presos no BEP sejam transferidos para o Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, até o meio-dia de sábado.

— O que ocorreu hoje demonstra que o BEP não tem condições de garantir a segurança de funcionários e juízes — afirmou o juiz Eduardo Oberg.

A juíza Daniela Assumpção já identificou quatro PMs presos que participaram da agressão. Esses serão transferidos para Bangu 1, presídio de segurança máxima.
Incidente ocorreu na tarde desta quinta-feira dentro do BEP
Incidente ocorreu na tarde desta quinta-feira dentro do BEP Foto: Divulgação
Ao chegar ao BEP para uma vistoria, na tarde desta quinta-feira, a juíza Daniela Assumpção teve a blusa rasgada Policiais militares que faziam a escolta de Daniela também foram agredidos. De acordo com as primeiras informações, os autores da agressão foram policiais militares acusados de integrar uma milícia. A juíza e os PMs foram socorridos por outros presos. Para controlar a situação, foram acionados o Batalhão de Choque, o Batalhão de Operações Especiais (Bope) e o Grupamento Aeromóvel (GAM).

Logo após ser cercada, ainda muito nervosa, a magistrada disse que a situação no local era tensa.

— Eles me cercaram e minha escolta me defendeu, mas estou com a blusa rasgada. Perdi meu sapato e meus óculos. Ainda estou muito nervosa. O clima ainda está muito tenso aqui. Não consigo nem falar sobre o que aconteceu — disse a magistrada ao EXTRA.

Foi Daniela quem, em agosto, após constatar irregularidades no BEP, suspendeu temporariamente as visitas de familiares aos presos, até que sejam criadas condições para a visitação fora das celas. Também foram proibidas visitas íntimas.
Batalhão de Choque chega ao no Batalhão Especial Prisional (BEP)
Batalhão de Choque chega ao no Batalhão Especial Prisional (BEP) Foto: Divulgação/WhatsApp
PMs x Magistrados
O deputado estadual Flávio Bolsonaro (PP) criticou a atuação da juíza Daniela Assumpção dentro do BEP. De acordo com o parlamentar, a juíza "interpelou de forma ríspida um dos presos que toma remédio controlado" e "se dirigiu de forma desrespeitosa a alguns policiais, chamando-os de vagabundos e milicianos". O deputado acrescentou que PMs vão fazer registro de ocorrência contra a magistrada.

— Tudo o que eles (os presos) têm aqui a VEP permite. A juíza está querendo demonstrar força e vaidade. Ao serem tratados como bandidos os policiais ficaram indignados e vão registrar ocorrências contra ela — afirmou Bolsonaro, que criticou a decisão de fechar a unidade: — A transferência dos presos para Bangu é absurda porque os militares têm a prerrogativa em lei de aguardarem pelo julgamento em unidades diferenciadas do preso comum. Levango eles para Bangu, os militares se juntariam a chefes de facções criminosas.

Presidente da Associação de Magistrados do Estado do Rio (Amaerj), o juiz Rossidélio Lopes rebateu as acusações de excessos por parte da juíza.

— É injustificável colocar a culpa na juíza diante desse desrespeito. Isso seria colocar em xeque todo o Estado Democrático de Direito. Esses presos não têm noção de hierarquia e se acham acima da lei. Ela (a juíza Daniela) ficou acuada e seus seguranças chegaram a receber pauladas. Então ela foi para uma sala, mas, depois, com reforço policial, voltou e conseguiu fazer a inspeção com cabeça erguida. A Daniela nesse momento representou toda a magistratura brasileira. E a magistratura não pode se curvar — disse Rossidélio.
Agentes do Batalhão de Choque estão dentro do batalhão prisional
Agentes do Batalhão de Choque estão dentro do batalhão prisional Foto: Divulgação
Nota do TJ:

O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) repudia com total veemência as agressões físicas cometidas contra a juíza Daniela Barbosa Assumpção de Souza, da Vara de Execuções Penais (VEP), na tarde desta quarta-feira, dia 1º, no Batalhão Especial Prisional.

O TJRJ classifica como inadmissível que o trabalho de uma juíza seja interrompido pela violência cometida por presos. É papel do Judiciário zelar pelos direitos fundamentais, assim como é prerrogativa do Estado garantir a segurança de quem atua pelo rigor da lei.

A VEP tem realizado um trabalho exemplar na fiscalização de desvios cometidos por detentos do BEP, apurando supostas mordomias de alguns presos no local. Esta foi a segunda fiscalização feita pela magistrada.

 Em agosto deste ano, durante uma vistoria, foram encontrados geladeiras, televisões, micro-ondas, videogames, forno de pizza, celular, dinheiro, engradados de refrigerante, churrasqueira, e até uma bateria profissional na unidade.

O TJRJ reforça que está tomando todas as providências cabíveis e sobre o episódio e reafirma sua preocupação para o que trabalho de magistrados e servidores seja feito com a máxima segurança.

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

ANIVERSÁRIO DE AMIGOS - 30 DE SETEMBRO

Gio Ahmad

Marcello Capuzzo

Mirian Lima


ALDO REBELO DEVERÁ SUBSTITUIR JAQUES WAGNER NA DEFESA

Na tentativa de dar uma guinada no governo e reverter a crise política que vem se agravando a cada semana, a presidente Dilma Rousseff decidiu aprofundar a reforma ministerial em curso e substituir Aloizio Mercadante na Casa Civil – uma já antiga sugestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do PT e do PMDB. 

Para o lugar dele, irá Jaques Wagner, atual ministro da Defesa, e, para a Defesa, será deslocado o ex-deputado Aldo Rebelo (PCdoB), que deixará o Ministério da Ciência e Tecnologia. Antes de viajar para os Estados Unidos, Dilma enviou mensagens ao PSB com sondagens para o partido ocupar a pasta de Ciência e Tecnologia, que já foi comandada por Eduardo Campos durante o governo Lula.

As mais importantes mudanças na equipe, além da abertura de espaço para o PMDB, mostram que os principais conselhos do ex-presidente Lula foram acolhidos pela presidente – com exceção da troca de comando no Ministério da Justiça. José Eduardo Cardozo vai continuar no posto. 

Dilma insistia na importância de remover Mercadante da Casa Civil para ampliar o diálogo do governo com o universo político. Jaques Wagner teve seu nome defendido pelo PT e pelo PMDB para a Casa Civil, tanto pela habilidade política quanto pela experiência administrativa em dois governos da Bahia.

Efetivadas essas mudanças, o Palácio do Planalto passará a abrigar os ministros Jaques Wagner, na Casa Civil; Ricardo Berzoini, na Secretaria-Geral, que será reforçada com articulação política e diálogo com os movimentos sociais, uma reivindicação de Berzoini; e Edinho Silva, ministro da Comunicação de Governo. Além do assessor especial Giles Azevedo, que pode ser o segundo de Berzoini e tem recebido mais e mais missões da presidente.

O PMDB vai levar o que pediu e todas as alas serão atendidas: do grupo do vice Michel Temer vão permanecer em seus postos Eliseu Padilha, na Aviação Civil, e possivelmente Helder Barbalho, no Ministério da Pesca. A bancada na Câmara vai indicar o ministro da Saúde – o nome mais cotado agora é o de Marcelo Castro; e o dos Portos, com uma indicação do líder Leonardo Picciani. Kátia Abreu segue na Agricultura e Eduardo Braga no Ministério de Minas e Energia.

Para cumprir a promessa de reduzir o número de ministérios, poderão ser reunidos num só ministério as pastas de Trabalho, Previdência e Desenvolvimento Social. Cada área terá um vice-ministro com força política. Os atuais ministros podem ficar com esses cargos. 

A presidente pode, ainda, fundir as secretarias que têm status de ministério – Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos.

As mudanças devem ser anunciadas na quinta-feira.


http://g1.globo.com/politica/blog/cristiana-lobo/post/jacques-na-casa-civil-aldo-rebelo-na-defesa.html

Por telefone, Sgt Tavares salva criança engasgada

bebe-salva
Foto: Arquivo Pessoal
Atualizada às 19h11
Uma menina recém-nascida de apenas 12 dias foi salva, por telefone, por um sargento do Corpo de Bombeiros. A criança engasgou quando mamava no peito da mãe e ficou sem respirar. Enquanto os pais aguardavam a chegada de uma unidade de Resgate, o sargento do Corpo de Bombeiros, Ricardo Tavares, numa ligação de quase seis minutos, ensinou todos os procedimentos ao casal, que conseguiu reanimar a pequena Maria Júlia. O caso foi registrado, na noite do último sábado (26), por volta das 23h, no Bairro Industrial, Zona Norte. “Ele foi um anjo da guarda na nossa vida. Abaixo de Deus, ele nos deu muita força”, disse, agradecido, o pai da menina, o representante comercial, Nelimar Guimarães, de 51 anos.
“O pai me ligou aflito e relatou que a filha teve uma obstrução respiratória, enquanto mamava. Segundo ele, a menina estava sem respirar e roxa. De imediato eu acionei uma ambulância, que iria sair do Bairro São Judas Tadeu até a casa da criança, no Bairro Industrial. Este deslocamento iria durar alguns minutos, e a criança poderia ir a óbito. Então, fiquei com os pais no telefone e comecei a instrução. Solicitei que o pai ou a mãe envolvesse a boca e o nariz da bebê com a própria boca e sugasse o leite. A mãe fez o procedimento. Ouvi tudo pelo telefone, mas ele falou que não resolveu”, relatou o bombeiro, afirmando que manteve a tranquilidade e pediu que os pais ficassem calmos.
“Fiz outra orientação, pedi que o pai pegasse a criança de bruços na palma da mão, com a mão no peito dela e com a cabeça levemente para baixo. Em seguida, pedi para dar uns tapinhas leves nas costas, como quando o médico faz na criança que nasce. Assim, o leite que ficou na garganta, no nariz ou na boca sairia. Ele fez e, de repente, ouvi o choro do outro lado da linha”, contou o bombeiro, emocionado.
Conforme o sargento, os pais foram orientados a deixar Maria Júlia em posição confortável e monitorada até a chegada do Resgate. Com a equipe no local, a criança foi levada para o Pronto Atendimento Infantil (PAI).
“Depois que deixei meu turno, passei lá, pois queria ver a menina. Estava preocupado e queria certificar-me que estava tudo bem”, relatou o sargento, que tem 39 anos, é pai de duas meninas e está há 16 anos no Corpo de Bombeiros. “A médica lá viu que a criança estava bem e disse ainda que todo o procedimento realizado foi fundamental para manter a vida dela”, orgulha-se
http://www.tribunademinas.com.br/bombeiro-salva-crianca-engasgada-por-telefone/

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Alto Comando do Exército está reunido em Brasília



Reunião fará análise de conjuntura
A reunião do Alto Comando do Exército começou hoje [ontem] e se estende até quinta-feira. Nos próximos dias, os generais farão uma exposição dos problemas de suas áreas com a proposição de soluções. Cabe ao chefe do Estado Maior do Exército, general Sérgio Etchegoyen, a análise conjuntural do que assombra o Brasil.
Como Dilma falou na ONU, o Brasil não tem problemas estruturais, apenas conjunturais.

Inteligência do Exército preparou relatório
O Centro de Inteligência do Exército preparou um relatório secreto sobre a atual conjuntura brasileira. O documento será analisado na reunião do Alto Comando que começou hoje [ontem].
Nele constam projeções sobre as consequências da crises econômica e política, avaliação de possíveis impactos da Lava Jato em obras de infraestrutura com a participação da força terrestre e um levantamento de acampamentos de sem-terra considerados 'atípicos'.

Jobim tem "olhos e ouvidos" no Alto Comando
Nelson Jobim, o homem por trás do fatiamento da Lava Jato, tem "olhos e ouvidos" no Alto Comando do Exército. Trata-se de Sérgio Etchegoyen, chefe do Estado Maior.
Etchegoyen foi assessor militar de Jobim e deve ao ex-ministro, de quem é muito amigo, sua promoção a 4 estrelas.

http://montedo.blogspot.com.br/2015/09/alto-comando-do-exercito-esta-reunido.html?spref=fb

ANIVERSÁRIO DE AMIGOS - 29 DE SETEMBRO


Cel Eduardo Lopes

Sub Ten Jairo Lauro



Aloysio Marinho Moraes


Governo vai cortar Programa Farmácia Popular e tirar dinheiro de UPAs e Samu

Com recursos zerados, Farmácia Popular deixará de existir
Com recursos zerados, Farmácia Popular deixará de existir Foto: Divulgação/ 22.5.2014 / Divulgação/ 22.5.2014

A fonte secou e, em 2016, não haverá dinheiro suficiente para manter importantes serviços gratuitos de saúde no país: o programa Farmácia Popular e os procedimentos de alta e média complexidades. O Ministério da Saúde vai acabar, já no início de 2016, com o “Aqui tem Farmácia Popular” — uma parceria com grandes redes de drogarias, que oferece descontos de até 90% em remédios. 

Além disso, avisou que, no último trimestre do ano que vem, não terá mais dinheiro para fazer repasses a estados e municípios.

Na prática, a União terá verbas para repassar às Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e ao Serviço Móvel de Urgência (Samu) somente até setembro. O corte de R$ 3,8 bilhões afetará ainda cirurgias eletivas, internações, hemodiálises — em centros médicos conveniados ao Serviço Único de Saúde (SUS), hospitais universitários e unidades da Santa Casa.

No caso do Farmácia Popular, apenas as 460 unidades próprias do governo, que distribuem remédios de graça, serão mantidas. Neste caso, o corte será de R$578 milhões. O programa foi criado em 2006 para a compra de remédios contra colesterol, Parkinson, diabetes, glaucoma e osteoporose, além de anticoncepcional.

O corte do governo federal se materializou na proposta de Orçamento enviada ao Congresso Nacional. Mas o Executivo aposta em emendas parlamentares para tentar recompor, em parte, o rombo na Saúde. A ideia é pretende pressionar os parlamentares a aprovar a medida que destinaria ao setor recursos oriundos do DPVAT (reservados para pagar indenizações em casos de acidentes de trânsito).

Por enquanto, foram preservados os gastos com a compra de vacinas e medicamentos. Até 2015, o total destinado à Saúde era equivalente ao que foi desembolsado no ano anterior, mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB), isto é, R$ 103,7 bilhões. Agora, o governo terá de reservar 13,5% das receitas correntes líquidas, ou seja, R$ 100,2 bilhões.

http://extra.globo.com/noticias/economia/governo-vai-cortar-programa-farmacia-popular-tirar-dinheiro-de-upas-samu-17634372.html#ixzz3n8sr4zGu

RONALDINHO GAÚCHO NÃO É MAIS JOGADOR DO FLUMINENSE

Mário Bittencourt entrevista Fluminense (Foto: Gustavo Rotstein)Mário Bittencourt se pronunciou sobre a saída do craque (Foto: Gustavo Rotstein
Por Rio de Janeiro
Responsável direto pela contratação de Ronaldinho Gaúcho, Mário Bittencourt se pronunciou na manhã desta terça-feira sobre a rescisão contratual com o craque. O vice de futebol do Tricolor admitiu que esperava mais de R10 e que apostava em um renascimento do meia em uma volta para o Rio de Janeiro.
- A palavra é frustração. Quando ele chegou, esperávamos que fizesse aqui o que fez em outros lugares. Quando você contrata um atleta, pensa que ele pode dar o melhor. Quantas vezes vimos jogadores considerados com carreira em declínio fazer grandes atuações? O próprio Ronaldo no Atlético-MG foi um exemplo. Não fez boa temporada no México, mas apostamos que voltando ao Rio ele poderia render - disse.
Embora tenha lamentado o insucesso de Ronaldinho Gaúcho com a camisa do Flu, Mário Bittencourt não considerou o esforço e o investimento feito na contratação do meia como um erro.
- O Fluminense não errou. O Fluminense aproveitou uma oportunidade. Ontem (segunda-feira), de maneira grandiosa, (Ronaldinho Gaúcho) foi muito claro ao dizer que não estava dando ao Fluminense a reciprocidade que o clube merecia. Fizemos tudo para que ele pudesse melhorar o futebol dele, manter a forma dele - afirmou o dirigente.
Mário reafirmou que a rescisão aconteceu de forma amigável e que foi costurado em uma reunião "honesta" nesta segunda-feira. O vice de futebol aproveitou ainda para elogiar a atitude do meia em reconhecer que não atravessava um bom momento.
- Ele estava se sentindo em uma situação ruim, não conseguiu dar ao Fluminense todo o carinho que o clube estava dando a ele. O clube e a torcida. Ele perguntou qual era a nossa opinião, se nós achávamos que ele não estava bem. Fomos sinceros. O momento não estava bom. De maneira digna, de grande caráter. Ele disse: no momento, prefiro colocar minha cabeça no lugar. Foi amigável. Com esse combinado, com esse aperto de mãos, que Ronaldo e Fluminense permanecerão com uma relação de afeto. Estamos deixando as portas abertas, saída muito honesta dos dois lados - completou Mário. 
O vice-presidente de futebol também descartou uma possível falta de comprometimento de Ronaldinho Gaúcho - que chamou atenção por treinamentos curtos e saída ligeiras. O dirigente afirmou ainda que R10 representou um grande retorno financeiro em números de marketing.
- Não acho que faltou entrega e dedicação. Ele é um jogador reconhecido no mundo inteiro. Teve uma atitude grande e digna de dizer que ele não estava sendo o atleta que ele poderia ser. O retorno financeiro normalmente são os jovens. No caso do Ronaldo, o retorno foi enorme. A chegada dele transformou muitos números do clube, números internos nossos que foram alavancados - completou.
A curta vida de R10 no Flu
Após dois meses de negociação, Ronaldinho Gaúcho chegou em julho ao Flu e permaneceu por apenas 80 dias. Neste período, R10 participou de oito jogos, ficou fora de seis e não marcou nenhum gol. O salário do craque girava em torno de R$ 400 mil, mais adicionais por diversas cláusulas.
Ronaldinho passava por um momento conturbado no clube. Sem o apoio da torcida após atuações fracas nos primeiros jogos, o meia amargou três partidas consecutivas no banco de reservas - contra o Palmeiras nem chegou a entrar. Curiosamente, no último sábado, havia tido a primeira oportunidade na equipe titular com o técnico Eduardo Baptista. Porém, dois dias depois, pediu dispensa do treinamento e, logo em seguida, do Fluminense.
http://globoesporte.globo.com/futebol/times/fluminense/noticia/2015/09/mario-diz-nao-estar-arrependido-de-contratacao-de-r10-flu-nao-errou.html

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

CCOMSEx inicia Estágio de Auxiliar de Comunicação Social para Subtenentes e Sargentos

Brasília (DF) – No dia 28 de setembro, o Centro de Comunicação Social do Exército (CCOMSEx) deu início ao 1º Estágio de Auxiliar de Comunicação Social 2015. A abertura da atividade foi realizada pelo Subchefe do Centro, Coronel Wesley Vannuchi, com a presença de oficiais integrantes do CCOMSEx, no auditório do Gabinete do Comandante do Exército.

A aula inaugural foi proferida pelo Chefe do CCOMSEx, General de Brigada Otávio Santana do Rêgo Barros, e versou sobre “A Comunicação Social no Exército Brasileiro”.

O objetivo principal do Estágio é capacitar subtenentes e sargentos para o desempenho de funções ligadas ao Sistema de Comunicação Social do Exército (SISCOMSEx), a fim de atender às necessidades da Instituição em pessoal habilitado para o exercício de cargos específicos, relacionados a essa área de atuação.

Para alcançar esse objetivo, durante as duas semanas de programação intensa, os estagiários terão contato com técnicas e procedimentos mais comuns no dia a dia das atividades de comunicação social, para que possam se capacitar ao exercício de suas funções em suas organizações militares, onde atuarão, também, como difusores do processo.

Participam do Estágio subtenentes e sargentos do Exército, de várias regiões do País, e integrantes da Marinha do Brasil.



http://www.eb.mil.br